sábado, 17 de janeiro de 2015

Chicão alfineta 'times que não pagam' e promete dedicação.









De surpresa, os torcedores do Bahia ganharam um motivo para comemorar: na noite desta sexta-feira, pouco antes do início do amistoso contra o Shakhtar Donetsk, o clube baiano anunciou a contratação do zagueiro Chicão, que assina por uma temporada. Com apenas três zagueiros no elenco (Titi, Adriano Alves e Robson, já que Lucas Fonseca negocia para rescindir contrato), o Tricolor correu no mercado. E correu mesmo: segundo o próprio Chicão, as negociações duraram menos de 24 horas. 

- Na quinta-feira houve o contato. Fiquei muito feliz. Muito feliz por um clube como o Bahia querer contar com meu futebol. Estou feliz e espero ajudar bastante – afirmou o jogador, apresentado oficialmente na noite desta sexta, antes da partida contra o time europeu.

Chicão desembarcou na capital baiana nesta sexta para ser apresentado à noite, na Arena Fonte Nova. Em uma bonita festa realizada antes de a bola rolar no amistoso contra o time europeu, o zagueiro teve sua apresentação oficial e, logo de cara, tratou de prometer comprometimento e dedicação e fez votos de que consiga repetir, no Fazendão, as conquistas que teve em outros clubes. 

- É um clube bicampeão brasileiro, de tradição. Não merece estar na Série B. Quando recebi o convite, não pensei duas vezes. Espero corresponder. Comprometimento com o clube. Vou me dedicar ao máximo. Tenho muita vontade de vencer. Nos últimos anos, consegui dez títulos. Isso é importante. Espero conquistar títulos aqui também - disse. 

Chicão começou a carreira no Mogi Mirim e passou por clube do interior de São Paulo e do Rio Grande do Sul até chegar ao Figueirense. Em 2008, foi transferido para o Corinthians, onde despontou no cenário nacional: foi campeão da Série B daquele ano, quando marcou dez gols, e chegou à final da Copa do Brasil. Em 2009, foi campeão paulista e da Copa do Brasil. Ele ainda acumula o título de campeão brasileiro pela equipe paulista, conquistado em 2011, além de ter sido campeão da Libertadores e campeão mundial em 2012. Em 2013, o destino foi o Flamengo. Após duas temporadas no clube carioca, o zagueiro acumulou 48 jogos e três gols. 

Da temporada no Rio de Janeiro, o jogador conta que tem atletas conhecidos no elenco do Tricolor. Chicão afirma que vai tentar passar sua experiência para os mais jovens do grupo e revela que deve ficar à disposição do técnico Sérgio Soares em cerca de duas semanas. 

- O Feijão estava no Flamengo. Conheço o Titi de jogar contra. Sei que aconteceu uma reformulação. O grupo está buscando espaço. Vou procurar ajudar com toda a minha experiência, passar mais tranquilidade aos mais jovens. Não tenho certeza, mas acredito que em duas semanas estarei bem. Estava treinando. O jogador não pode ficar parado muito tempo. Procurei fazer meus trabalhos nas férias - revelou. 

Ao comentar o rebaixamento do Bahia, o jogador aproveitou para alfinetar clubes que deixam de pagar aos seus jogadores. É bom lembrar que Chicão tem cerca de R$ 1 milhão a receber do Flamengo: sete meses de imagem, dois de luvas e férias. Ele ainda destacou que o acesso à Primeira Divisão é obrigação.

- O Bahia não pode estar na Série B. Aconteceu, mas o planejamento da diretoria é bacana. Muitos clubes de Série A contratam jogadores e acabam não pagando. Isso a diretoria não quer. Agora é obrigação. O clube grande tem obrigação de voltar. Esse ano tem tudo para voltar. A diretoria está fazendo todo o esforço possível para contratar, e queremos brigar pelo acesso e pelo título, que é mais importante. 

Apesar da vontade de ver o atual time na elite do futebol nacional, Chicão reconhece que o caminho até lá é difícil. O zagueiro destaca o Botafogo como um dos favoritos ao acesso, mas lembra que já foi campeão da Série B e que o apoio da massa tricolor vai ser fundamental. 

- Vai ser uma competição difícil. O Bahia é favorito. O Botafogo também. Temos que brigar. Só dentro de campo para mostrar nosso futebol, desde já pedindo o apoio do torcedor. Já tive a experiência de vencer a Série B com o apoio da torcida, e isso é fundamental na competição - finalizou.


Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/chicao-alfineta-times-que-nao-pagam-e-promete-dedicacao.html

Copinha: Curiosidade dos confrontos das oitavas.









Restam apenas 16 clubes vivos na Copa São Paulo e, neste fim de semana, metade deles dará adeus ao torneio. Entre os duelos disputados, há jogos entre equipes com divisões de base tradicionais no futebol brasileiro, como Cruzeiro e Vitória, e confrontos entre times que jamais foram campeões da competição, como Grêmio e Goiânia. Saiba um pouco mais sobre os confrontos:

Palmeiras x Ituano: o único duelo paulista
Há apenas um confronto direto entre duas equipes paulistas nas oitavas de final da Copinha. Palmeiras e Ituano abrem as oitavas em um momento no qual as duas bases estão em alta. Os garotos palmeirenses, que marcaram 14 gols no torneio, veem a chance real de subir aos profissionais, como os companheiros Nathan e João Pedro. O atacante Gabriel Jesus, autor de três gols, é a principal arma ofensiva do time. No Ituano, que se reestruturou, há destaques individuais, como o meia Guilherme, o atacante Gabriel Braga e o zagueiro Luis Felipe.

Vitória x Cruzeiro: bases tradicionais, com boa relação
De Dida, em 1993, a Marquinhos, em 2014, a lista de jogadores revelados no Vitória que fizeram sucesso no Cruzeiro é grande, e inclui nomes como Alex Alves e Leandro, ex-lateral-esquerdo campeão brasileiro em 2003. Na mão inversa, estão jogadores como Ramon e Geovanni. Para o confronto da Copinha de 2015, marcado para as 16h, em Taubaté, os rubro-negros apostam na base vice-campeã da Copa do Brasil Sub-20, com destaques como o meia Nickson e o volante Flávio. No Cruzeiro, o nome a ser visto é Hugo Ragelli, autor dos dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o Vasco na segunda fase.

Fluminense x Botafogo-SP: o artilheiro contra a boa defesa
O centroavante Isaac Prado, do Botafogo-SP, é um dos artilheiros da Copinha com seis gols marcados, mas, neste sábado, às 19h, será a principal arma de ataque de sua equipe contra o Fluminense, que tem uma defesa sólida e só levou um gol na competição. As duas equipes passaram da segunda fase nos pênaltis. Os paulistas, após empate por 1 a 1 com o Botafogo. O Flu, após um 0 a 0 contra o Bahia.

Grêmio x Goiânia: em busca do título inédito
As duas equipes nunca venceram a Copinha, e se enfrentam neste sábado, às 21h, em São José do Rio Preto. No Grêmio, vice-campeão de 1991, os volantes Arthur e Caio, o goleiro Guilherme e o centroavante Luis Felippe tiveram boa atuação na vitória por pênaltis contra o Paraná após empate por 1 a 1 no tempo normal. No Goiânia, que faz boa campanha pelo segundo ano consecutivo, o centroavante Ivamar é o principal nome.

São Caetano x Figueirense: o jogo da capital
O estádio Nicolau Alayon, do Nacional, receberá o confronto entre São Caetano e Figueirense neste domingo, às 10h. Será a única partida das oitavas de final da Copinha realizada na capital paulista. No Azulão, o destaque é o atacante Victor, 17 anos, um dos artilheiros do torneio com seis gols, dois deles na vitória por 3 a 0 sobre a Inter de Limeira. No Figueira, as atenções se voltam para o meia João Pedro.

Corinthians x Goiás: Augusto reencontra o Timão
Campeão mundial de clubes pelo Corinthians em 2000, Augusto, ex-lateral, reencontra o Timão, agora como adversário. Ele é o técnico do Goiás, que foi vice-campeão da Copinha em 2013 e aposta em jogadores como o volante Rezende e o atacante Carlos Eduardo. No Corinthians, atual campeão brasileiro sub-20, o objetivo é manter os 100% de aproveitamento e seguir adiante na competição. Para isso, o técnico Osmar Loss conta com a qualidade do trio de canhotos formado pelo volante Marciel, o meia-atacante Matheus Cassini e o lateral-esquerdo Guilherme Arana. O jogo está marcado para as 16h30 deste domingo, na Arena Barueri.


Flamengo x Atlético-MG: novos contra mais novos
O duelo entre Flamengo e Atlético-MG, marcado para às 19h de domingo, em Osasco, é o encontro entre duas equipes diferentes. O Flamengo, com jogadores mais próximos de atingir a idade de juniores, tem uma equipe mais experiente, com vários jogadores na segunda, terceira Copinha. Um exemplo é o centroavante Douglas Baggio, artilheiro do time com três gols. No Atlético-MG, a base é o time campeão da Copa do Brasil Sub-17, que eliminou o próprio Flamengo na semifinal com uma goleada por 6 a 1 e aposta no meia Bruno Tabata como principal jogador.

Criciúma e São Paulo: reencontro e "revanche"
Kalil, centroavante do Criciúma e autor de dois gols na Copa São Paulo, atuou por muitos anos na base são-paulina. E reencontra o ex-clube nas oitavas de final da competição. Boa parte dos jogadores das duas equipes se enfrentou na Copa do Brasil Sub-17 de 2013, quando o Tricolor paulista eliminou o time catarinense e iniciou a caminhada rumo ao título. Entre os remanescentes do confronto, está o atacante Andrew, do Criciúma, e o volante são-paulino Gustavo.


Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/copinha-curiosidade-dos-confrontos-das-oitavas.html

Fla divulga numeração das camisas sem a 10 e PV com 48.









goleiro flamengo numero camisa costas

Foi divulgada a numeração oficial do Flamengo para a temporada de 2015. Uma novidade esperada não se concretizou. Com Felipe fora dos planos de Vanderlei Luxemburgo, havia a expectativa de Paulo Victor assumir o número 1. PV, no entanto, estimulado por Luxa, manteve o 48. O treinador vê a continuidade como uma estratégia de marketing.

- Nação, primeiramente gostaria de agradecer a todos vocês pelo apoio e confiança que tiveram em mim. Optei carregar o número 48 em minhas costas sempre, é um número que tem uma grande importância para mim, foi uma homenagem a minha mãe e foi o número que esteve comigo no momento mais feliz da minha vida profissional, o da titularidade no maior time do Brasil! Fico extremamente feliz em ver camisas com a numeração 48, podem ter certeza que isso me motiva cada vez mais a trabalhar para corresponder esse carinho que vocês têm comigo - postou Paulo Victor em seu Instagram.

O lateral-esquerdo Anderson Pico, que utilizou o número 36 no Brasileiro passado, assumiu a 6. Mugni, que iniciou 2014 como 10, agora leva o 11 às costas.

Os números 1 e 10 ainda não têm donos. Confira abaixo a lista.

1 -
2 - Léo Moura
3- Bressan
4- Samir
5- Victor Cáceres
6- Anderson Pico
7- Marcelo Cirino
8- Márcio Araújo
9- Alecsandro
10-
11- Lucas Mugni
13- Marcelo
14- Wallace
15- Luiz Antônio
16- Thallyson
17- Gabriel
18-
19- Arthur Maia
20- Canteros
21- Pará
22- Éverton
23- Eduardo
24-
25-
26- Paulinho
27-
28-
29- Nixon
33- Frauches
37- Cesar (goleiro)
38- Daniel (goleiro)
48- Paulo Victor (goleiro)


Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/fla-divulga-numeracao-das-camisas-sem-a-10-e-pv-com-48.html

Flamengo mantém austeridade, mas avisa "O pior já passou."









Alexandre Wrobel, Alexandre Povoa, Flavio Willeman, Mauricio Gomes, Cláudio Pracownik, Eduardo Bandeira, Rodrigo Tostes, Rafael Strauch
O paciente saiu da UTI, mas ainda inspira cuidados. O estado de saúde do Flamengo é estável. A previsão de alta, porém, não é para 2015. O vice de finanças do clube, Rodrigo Tostes, calcula que, ao final da atual gestão, em dezembro, terão sido pagos R$ 300 milhões dos R$ 750 milhões de dívida encontrados pela diretoria em 2013. Já contando os juros sobre o valor que ainda não foi pago, o montante total estará em cerca de R$ 500 milhões ao término deste mandato. Os próximos anos, Tostes prevê, serão de estabilização financeira e maiores investimentos. Ainda assim, sem loucuras.

O DIA: Hoje, qual é a situação financeira do clube?

RODRIGO TOSTES: Encontramos um paciente na UTI. O clube tinha um furo de caixa de R$ 121 milhões em 2013 e uma dívida total de R$ 750 milhões. Hoje, o pior já passou, o paciente já não corre risco de vida, mas ainda não pode deixar o hospital. Nosso endividamento reduziu e nossa receita aumentou significativamente. No entanto, estamos longe de ter uma situação tranquila.

O DIA: O Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG, disse que se o Flamengo se arrumar, não vai ter quem faça frente. Isso está perto de acontecer?

RODRIGO TOSTES: Não acredito nisso. Só vamos voltar a ter um futebol forte no Brasil se tivermos clubes fortes e com saúde financeira. A lógica que um time de futebol forte necessariamente faz um clube forte não é verdadeira. Na realidade, vemos o contrário: a instituição forte e com credibilidade tornará o futebol mais forte a cada ano. Quando isso for totalmente consolidado, em pouco tempo o Flamengo voltará a disputar títulos nacionais e internacionais com consistência. Infelizmente, não acontece da noite para o dia.

O DIA: Essa imagem de que o clube está indo bem atrapalha no mercado?

RODRIGO TOSTES: Os salários no futebol brasileiro estão totalmente distorcidos com a realidade do país. Quando chegamos, quatro profissionais do elenco ganhavam mais de R$ 500 mil por mês. Mesmo assim, o time não jogava bem. Como pode uma instituição que deve R$ 750 milhões pagar isso? Se fosse o Zico, pagaria feliz (risos). O trabalho que está sendo feito pode até gerar esta expectativa no mercado, mas no novo Flamengo não existe espaço para loucuras.

O DIA: Como estará a dívida ao fim deste mandato?

RODRIGO TOSTES: Nestes três anos vamos pagar aproximadamente R$ 300 milhões. Agora, não é uma conta simples de 750 menos 300, porque existem os juros correndo sobre o valor não pago. A dívida total no final de 2015 será de aproximadamente R$ 500 milhões.

O DIA: Quanto está comprometido para que o clube honre seus acordos e mantenha as CNDs em 2015?

RODRIGO TOSTES: As CNDs propiciaram o resgate da nossa credibilidade e com elas arrecadamos R$ 100 milhões entre patrocínios e projetos incentivados. Atualmente pagamos de dívidas do passado para manter as CNDs aproximadamente R$ 60 milhões por ano.

O DIA: Como lidar com a pressão por mais investimentos? O departamento de futebol é compreensível?

RODRIGO TOSTES: Sempre trabalhei com orçamentos apertados. Acho absolutamente normal essa pressão, mas estamos trilhando um caminho definido, não podemos pensar apenas no curto prazo. Sempre fomos muito claros com o Vanderlei. Ele é um grande defensor da nossa austeridade porque sabe que administrar um elenco com salários atrasados coloca em risco o trabalho. Além disso, a chegada do Rodrigo Caetano ajudará ainda mais o clube a priorizar sua capacidade de investimento.

O DIA: É ano de eleição no clube. Como seria um novo triênio dessa diretoria em relação à capacidade de investimento?

RODRIGO TOSTES: Este ano e os três seguintes serão importantes para consolidar as mudanças e estabilizar financeiramente o clube. O Flamengo ainda tem grandes dívidas do passado, mas a boa notícia é que nosso crédito voltou. Vamos continuar honrando todos os compromissos. Nossa capacidade de investimento vai aumentar, mas isso não significa que todos os recursos serão aplicados no time de futebol. Este ano já faremos várias obras na sede social e terminaremos parte do Ninho do Urubu. Ainda assim achamos pouco.


Fonte: O Dia


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/flamengo-mantem-austeridade-mas-avisa-o-pior-ja-passou.html

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Marcelinho e Herrmann comandam vitória do Flamengo.









Com três derrotas nos últimos quatro jogos, o técnico José Neto resolveu mudar e usou a mesma formação que começou a decisão da temporada passada, contra o mesmo Paulistano: colocou Olivinha no lugar do campeão olímpico Walter Herrmann. Mas, por uma daquelas ironias do destino, o reforço argentino, ao lado do cestinha Marcelinho, com 23 pontos, foi o principal destaque da vitória do Flamengo, que voltou a jogar como Flamengo nesta quinta-feira, na Arena da Barra. Apagado nos primeiros 20 minutos, o camisa 1 rubro-negro voltou inspirado do intervalo, anotou 12 pontos só no terceiro período, terminou a partida como 19 e impulsionou a vitória do atual bicampeão do NBB por 97 a 81 (47 a 46), na reedição da última final do campeonato.

Para o técnico José Neto, a aplicação na defesa foi a chave para que o time conseguisse deslanchar no placar no segundo tempo e garantir a vitória sobre a equipe paulista, encerrando a sequência de duas derrotas seguidas e voltando a lembrar o time bicampeão nacional.

- Acho que foi basicamente por conta da defesa. Para mim, o basquete de hoje começa da defesa para o ataque. Qualquer equipe que entender isso vai conseguir fazer bons jogos. Confio muito nesse time e sabia que uma hora eles iam voltar a jogar bem. Nossa defesa sempre foi muito forte e hoje ela funcionou - disse Neto ao fim da partida.

Apesar da vitória, o Flamengo segue na quarta colocação da tabela. Porém, agora está com a mesma campanha do terceiro, Minas - dez vitórias e cinco derrotas -, levando desvantagem apenas no confronto direto. O Paulistano também não se mexeu na tabela: segue na oitava colocação, com nove vitórias e oito derrotas.

Na próxima rodada, o Flamengo recebe o vice-lanterna Liga Sorocabana, no sábado, às 19h, no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Já o Paulistano vai ao interior do Rio de Janeiro para enfrentar o Macaé na próxima quarta-feira.

O JOGO

“Vinte nove pontos não pode!”, gritou José Neto para seu assistente Rodrigo Carlos da Silva. A frase ao fim do primeiro quarto é emblemática para definir o desempenho do Flamengo na derrota parcial por 29 a 26 nos primeiros 10 minutos. Liderado por Marcelinho, que anotou duas bolas de três e marcou 10 pontos no período, o time rubro-negro nem foi tão mal assim ofensivamente, mas, defensivamente, mais uma vez os atuais bicampeões deixaram muito a desejar.

Principalmente nos arremessos do perímetro. Foram cinco em sete convertidos pelo Paulistano. Não que tenha faltado mérito aos jogadores do adversário, mas por mais de uma vez os chutes foram sem marcação. Numa das cinco bolas anotadas, até o pivô Jeff Agba recebeu livre para deixar sua marca. Se o vice-campeão brasileiro chutou 71.4% nas bolas de três, o Flamengo anotou apenas três em 10 tentativas. 

Mesmo longe de ser brilhante, o Flamengo melhorou no segundo período. A começar pelas bolas de três. Foram cinco em 12 tentadas, duas só de Benite, que entrou bem no jogo, mas deixou a quadra a pouco mais de dois minutos do fim do primeiro tempo reclamando de dores no joelho esquerdo. O mesmo que tirou o ala-armador de praticamente toda a temporada passada.

Desta vez quem desafinou nos tiros do perímetro foi o Paulistano. A equipe paulista anotou apenas uma bola em cinco. Melhor para os donos da casa, que chegaram a abrir seis pontos (47 a 41). Mas da metade do segundo quarto em diante o time voltou a errar demais e a vitória parcial por 47 a 46 acabou ficando de bom tamanho.

O Flamengo voltou do intervalo dormindo, e o Paulistano fez 6 a 0, passou a frente e abriu cinco pontos. Mas a vantagem paulista não durou muito. Os donos da casa deram o troco, devolveram os seis pontos consecutivos e retomaram a liderança num arremesso de Marcelinho.  Mesmo irritado, Gustavinho preferiu não parar o jogo. Melhor para os donos da casa, que anotaram mais cinco pontos seguidos e abriram.

Desta vez não teve jeito, e Gustavinho pediu tempo. A parada quebrou o ritmo rubro-negro, e, na sequência, César pôs fim ao apagão paulista que durou mais de três minutos. Mas o Flamengo tinha Herrmann. Apagado nos dois quartos anteriores, o argentino voltou para o segundo tempo inspirado e, com 12 pontos, foi decisivo para o time rubro-negro vencer o período por 21 a 13 e abrir nove pontos a 10 minutos do fim.

Se o terceiro período foi bom, o último foi o melhor e lembrou o Flamengo da temporada passada. Com uma marcação agressiva, um aproveitamento excelente nos arremessos de quadra, principalmente do capitão Marcelinho, que anotou três em quatro bolas de três, o time rubro-negro atropelou o Paulistano nos 10 minutos finais, acabou com a sequência de duas derrotas seguidas e saiu do sufoco no NBB 7.

As equipes

Flamengo: Marcelinho (23), Olivinha (17), Laprovittola (14), Marquinhos (7) e Meyinsse (6). Entraram: Herrmann (19), Benite (6), Gegê (3), Felício (2),  Chupeta (0) e Mingau (0).
Técnico: José Neto

Paulistano: Jeff Agba (16), Dawkins (14), Holloway (12), Pilar (10) e Gemerson (5).
Entraram: César (13), Pedro (6), Penna (3), Arthur (2), Labbate (0) e , Thomas (0).
Técnico: Gustavinho


Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/marcelinho-e-herrmann-comandam-vitoria-do-flamengo.html

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Zico pede mudança de filosofia no time do Flamengo.









Zico quer o Flamengo com cara de Flamengo. O ídolo foi claro durante o lançamento da camisa retrô que representa o seu primeiro uniforme no Rubro-Negro, em 1971: "Tem que mudar a filosofia". A loja Espaço Rubro-Negro, no Centro do Rio de Janeiro, ficou lotada de convidados que esperavam um autógrafo e uma foto com o ex-jogador. A camisa em questão leva o número 9 nas costas, o primeiro utilizado por Zico no clube. Galinho aproveitou o evento para opinar sobre o time atual, comandado por Vanderlei Luxemburgo. Ele acredita que a estratégia de jogar fechado, no contra-ataque, tenha funcionado quando o Fla encontrava-se na chamada "zona da confusão" do Campeonato Brasileiro no ano passado, mas frisou que a partir de agora a equipe deve buscar atuações diferentes.

- O Vanderlei armou o time com o material humano que ele tinha nas mãos. A situação em que o Flamengo se encontrava pedia isso, jogar mais fechado. Jogar de peito aberto com o nome Flamengo não estava dando. Ele fez os jogadores entenderem a filosofia e deu certo. Mas agora, começando do zero, é outra coisa. É o Flamengo. Algumas alterações foram feitas, e acho que os jogadores têm que mudar também a filosofia - disse Zico.

O Galinho explicou que falta no time um jogador com características de drible, que se desvencilhe da marcação adversária, e afirmou ainda que Luxemburgo terá de arrumar um jeito para que esses "talentos" surjam no Flamengo.

- Ele (Luxemburgo) é que é o homem, a competência tem que ser dele. Jogar com espaço para contra-ataque é uma coisa. Jogar com a defesa plantada lá atrás, é outra. Contra o Flamengo, todo mundo joga fechadinho. Então, temos que ter jogadores que saibam se desvencilhar, driblar, criar uma jogada. Acho que hoje falta um jogador com essas características - avaliou.

Perguntado se Jadson, do Corinthians, e que é cobiçado pelo Rubro-Negro, teria a capacidade de suprir essas necessidades no meio de campo, Zico respondeu que sim:

- O Jadson é um jogador que tem essa característica. Já o conheço, já vi jogar e poder ser importante para o clube. O Conca acho muito difícil que vá para o Flamengo.

Apesar de enxergar algumas mudanças a serem feitas no time para a temporada, Zico ainda vê o Flamengo com vantagem sobre os rivais. Ao menos, para a disputa do Campeonato Carioca, que inicia no fim do mês. O fator "camisa" acaba pesando mais quando se trata de jogar no Rio de Janeiro.

- O Flamengo é sempre favorito. Quando entra em uma competição, é sempre favorito, principalmente no Rio de Janeiro. Por tudo o que a gestão tem feito, espero que o time justifique isso dentro de campo - apostou.

A camisa 9

Em sua época de jogador, a oportunidade que Zico tinha de estrear pelo time principal do Flamengo foi com a camisa 9. A 10, depois eternizada em suas costas, pertencia a Fio Maravilha na época. A estreia do ídolo não poderia ter sido melhor para os rubro-negros: vitória por 2 a 1 sobre o arquirrival Vasco, em que Zico deu o passe para Fio selar o triunfo. Ele relembrou o momento no evento desta quinta-feira.

- Eu tinha terminado o campeonato juvenil como artilheiro, e o Flamengo passava por um momento difícil. Fui chamado e colocado como centroavante. Nessas horas, você não escolhe o número da camisa. Joguei, mesmo tendo dificuldades na posição, de jogar de costas, porque eu era franzino. Mas joguei bem e consegui dar passe para o gol. Foi contra o nosso rival, Vasco. Não poderia ser diferente - contou Zico, arrancando gritos e aplausos dos torcedores presentes na loja.


Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/zico-pede-mudanca-de-filosofia-no-time-do-flamengo.html

O que rolou no mercado da bola desta quinta-feira.









Os clubes paulistas monopolizaram o mercado da bola nesta quinta-feira. Corinthians, Santos e Palmeiras viraram notícia pelo fracasso na tentativa de renovar contrato de um atacante, rescisão amigável com um zagueiro e encaminhamento da contratação de um goleiro, respectivamente.

Sem acordo para ampliar o vínculo de Guerrero, que agora pode assinar pré-contrato com qualquer outro clube, o Timão está perto de acertar com o zagueiro Edu Dracena. Este acertou a saída do Peixe em rescisão amigável. O time do litoral paulista, aliás, deve perder outro atleta: Aranha. O goleiro, na mira do Palmeiras, busca na Justiça o rompimento de contrato por conta de salários atrasados. Menos mal, para os santistas, que há a possibilidade da chegada de Valencia, ex-Fluminense. 

Não parou por aí. O São Paulo tentou o zagueiro colombiano Balanta, do River Plante. Sem sucesso. O Coritiba conseguiu chegar a um acordo com investidores e evitou problemas na negociação de Robinho ao Palmeiras.

A principal dupla mineira teve o seu destaque. Serginho, ao retornar de empréstimo do Criciúma, foi reintegrado ao Atlético-MG. Já o Cruzeiro analisa a pedida do agente do lateral Mena e tem interesse no atacante colombiano Riascos, que estava no Morelia, do México.

E teve brasileiro sendo protagonista na Europa. O Manchester United negocia com o Paris Saint Germain a contratação do zagueiro Marquinhos.


Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/o-que-rolou-no-mercado-da-bola-desta-quinta-feira.html

Novos capítulos de negociações agitam o vai-e-vem.









Quinta-feira foi dia das sempre presentes novelas no mercado da bola. Entre as inúmeras que surgem durante o período, destaques para novidades nos casos de Guerrero, Conca e do jovem Vitinho. Além disso tem jogador que vai virar a casaca em São Paulo. no Rio surgiu a possibilidade também de alguém mudar de cores. Vamos ao resumo do Vaivém então, amigo internauta.

A situação de Guerrero com o Corinthians segue indefinida. Com contrato até o dia 15 de julho, o jogador pode, a partir desta quinta-feira, acertar um pré-contrato com qualquer outro clube. No entanto, no Alvinegro a confiança é de que o acerto aconteça. O peruano já garantiu mais de uma vez que no Brasil só joga pelo Timão. Por outro lado, Edu Dracena está chegando. Após acertar a saída do Santos, o zagueiro deve acertar nos próximos dias.

Ainda falando no Corinthians, o clube fez nova proposta por Conca. No entanto, existem mais dois concorrentes além do Fluminense, que detém os direitos do argentino. O Palmeiras, o 'Rei' do Vaivém, monitora a situação, enquanto o São Paulo contou com um importante aliado para trazer o meia. Muricy Ramalho, que trabalhou com o jogador no Tricolor carioca, ligou para Conca e falou sobre o projeto do clube paulista. Diante de tantos personagens, fica a dúvida de qual será o desfecho dessa novela.

E o Fluminense que abra o olho. Além de Conca, o Tricolor tem o rival Flamengo de olho em Cícero. O Rubro-Negro ainda não formalizou uma proposta pelo meio de campo, mas já estuda a possibilidade de fazer uma investida.

Entre tantas novelas, a do atacante Vitinho parece próxima do fim. Segundo a Rádio Gaúcha, o jogador chegará ao Internacional por empréstimo de um ano. Para tanto, o Colorado deve desembolsar 250 mil euros (cerca de R$ 780 mil) ao CSKA. Por outro lado, Wellington Paulista pode sair e ter como destino o Goiás.

Por fim, o Santos anunciou o colombiano Valencia, que atuou nas últimas temporadas no Fluminense. Já o goleiro Renan, antigo alvo da diretoria, pediu alto e a negociação, com isso, esfriou.


Fonte: Lancenet


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/novos-capitulos-de-negociacoes-agitam-o-vai-e-vem.html

Emerson esbanja sinceridade, e avisa: "Eu sou Flamengo."









Sempre polêmico, o atacante Emerson Sheik está de volta ao Corinthians, após passagem apagada dentro de campo pelo Botafogo. Em entrevista à revista Rolling Stone, o atacante admitiu que é torcedor do Flamengo, clube no qual atuou em 2009, mas que o Timão está imortalizado para sempre no seu coração.

“Eu sou Flamengo, mas tenho um carinho muito grande pelo Corinthians. As pessoas confundem. Foram cinco títulos importantes em três anos. Bacana. Mas eu estava sendo pago para isso. Eu não fiz nada de especial. E também não fiz sozinho. Mas meu relacionamento com o Corinthians hoje é mais do que as pessoas pensam. A identificação com o torcedor foi uma coisa absurda. Acho que os caras me olham lá da arquibancada e falam: ‘Esse cara aí parece que tava aqui no nosso meio’. E é exatamente isso. Tem esse lance do maloqueiro – não estou generalizando, e é no bom sentido, obviamente –, o cara que vende tudo pra ir ver o time. Alguns anos atrás, eu estava na mesma condição deles, de ir pro Maracanã, pular a linha do trem pra ver jogo e por aí vai.”

Durante a partida contra o Bahia, no Brasileirão de 2014, Sheik, que atuava pelo Botafogo, foi expulso. Ao deixar o campo, o atacante fez críticas e chamou a CBF de "vergonha". Apesar de preferir não revelar, o jogador contou que tem ciência de fatos que seriam reveladores sobre a entidade.

“Não tenho provas, por isso não posso falar muito nem dar nomes. Mas já ouvi tantas histórias a respeito da CBF, que se parte delas fosse provada, isso deixaria enojado e decepcionaria muita gente que tem o futebol como paixão", concluiu.


Fonte: O Dia


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/emerson-esbanja-sinceridade-e-avisa-eu-sou-flamengo.html

Envie perguntas ao vice-Presidente de Marketing do Fla!










Em parceria com Sandro Rilho, a Coluna do Flamengo dá a oportunidade do torcedor Rubro-Negro enviar sugestões e tirar suas dúvidas com o vice-Presidente de Marketing do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista.

As melhores serão selecionadas, respondidas e republicadas aqui no site.

Como fazer?

Na caixa de comentários deste mesmo post, deixe sua sugestão, dúvida ou crítica para o BAP, preenchendo com as seguintes informações:

Nome:
Idade:
Cidade:
Profissão:
É Sócio-torcedor?




SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/envie-perguntas-para-o-vice-presidente-do-flamengo.html

Copinha: Fla vence o Taboão e pega o Atlético-MG nas 8ª.










O Flamengo venceu o Taboão da Serra por 3 a 0, na noite desta quarta-feira, em Osasco, e se classificou para as oitavas de final da Copa São Paulo de Juniores. Jajá, Thiago Santos e Douglas Baggio fizeram os gols. O adversário nas oitavas será o Atlético-MG, que eliminou o Avaí (1 a 0). A partida está marcada para sábado, mas o local ainda não foi confirmado.

Jajá abriu o placar logo aos seis minutos: depois de receber passe de peito de Douglas Baggio, no meio, o camisa 10 avançou até a entrada da área e chutou rasteiro, contando com falha do goleiro Luís, que deixou a bola passar embaixo do seu corpo.

O Flamengo criou diversas chances seguidas de ampliar, mas aos poucos, se acomodou em campo, e permitiu que o Taboão da Serra também ameaçasse o gol do rubro-negro Daniel.

No segundo tempo, a expulsão de Bruninho, aos 17 minutos, complicou a situação da equipe paulista. O jogador, que já tinha cartão, deu uma entrada forte em Juan Felipe e recebeu o segundo amarelo. Dois minutos depois, o Flamengo aumentou o placar, com um gol de Thiago Santos, completando cruzamento do lateral-esquerdo Jorge. O terceiro saiu logo depois, aos 23: Cafu cruzou da direita e Douglas Baggio completou de letra.


Fonte: O Globo


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2015/01/copinha-fla-vence-o-taboao-e-pega-o-atletico-mg-nas-8.html

Vídeo: os gols de Flamengo 3 x 0 Taboão da Serra.









Curtir

Arquivo do blog

As mais votadas no diHITT

Parceiros

Meus amigos no diHITT