segunda-feira, 30 de março de 2015

No lado bolacha da Dutra, coerência total...















Vê se não é verdade??? 










SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2015/03/no-lado-bolacha-da-dutra-coerencia-total.html

domingo, 29 de março de 2015

SÓ AGORA QUE O POFEXÔ VIU ISSO?















O Flamengo venceu o timeco do Bonsucesso, por 2 x 0 no Engenhão.







E o técnico Vanderlei Luxemburgo não gostou da atuação da equipe: "Ganhamos o jogo, mas  resto foi um dia horrível em tudo. Tivemos uma atuação horrível. Jogamos de uma forma morna, sonsa e lerda. O jogo de hoje nos deixa distantes demais de quem deseja ser campeão. Não jogamos como o Flamengo precisa para ganhar o campeonato".





Ô Pofexô, só agora que o senhor viu isso?




Luxa tá preocupado





Não acredito!





Acho que só agora é que ele decidiu tocar no assunto.





Desde que o Cariocão começou eu venho dizendo por aqui que nosso time é fraco, que temos um bom elenco, cheio de opções, um contra-ataque rápido, mas que ainda não nos acertamos em campo, não temos uma equipe de verdade.





Isso já vem de longe e ficou mais evidente quando perdemos para o Botafoguinho... Empatamos com o Macaé... E ganhamos alguns jogos contra pequenos com dificuldades.





Empatamos com o Madureira, também, mas o Tricolor Suburbano não conta, pois está com um time muito bem armadinho e vai se classificar para as semifinais.





Os jogos que vencemos foi na raça, na vontade dos jogadores.





Concordo com você Luxemburgo, jogando assim, não seremos campeões nunca, a não ser que os outros consigam ser piores que nós.





Só que foi preciso se passar 13 rodadas para você ver isso?





Por sorte "temos camisa".





Domingo tem Fla-Flu e os Florzinhas, apesar do medo que têm da gente, vêm com tudo.





Não vão poupar pós de arroz, paetês e purpurinas para levar os três pontos.





Pra terminar, viram mais uma jogada de inteligência do Alecsandro, que proporcionou o gol de Marcelo Cirino.





E o gol do Matheus Sávio? Foi sem querer, ao cobrar uma falta num cruzamente em que ninguém alcançou a bola e ela entrou. Mas, seria ele mais uma promessa rubro-negra que não vai vingar?








SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2015/03/so-agora-que-o-pofexo-viu-isso.html

quarta-feira, 25 de março de 2015

Fábio Baiano















     Fábio da Silva Moraes, mais conhecido como Fábio Baiano,
nasceu em Feira de Santana no dia 22/04/1975 e jogou 231 pelo Flamengo marcando 41 gols com o Manto Sagrado. O jogado  teve quatro passagens pela Gávea: a primeira entre junho de 1992 e fevereiro de 1996, a segunda entre 1997 e 1998 ,  a terceira e mais marcante entre o fim de 1998 e meados de 2000 e a quarta entre 2002 e 2004.




        Nas duas primeiras passagens, Fábio Baiano atuou como
lateral direito,  mas era muito criticado
pela torcida . Mesmo assim, conquistou a Taça GB de 1995 com o Flamengo vencendo
o Botafogo por 3 a 2 na final em noite de Romário. O Baixinho fez 2 a 0 no
primeiro tempo, mas na segunda etapa o Bota empatou com dois gols de Adriano.
Mas o jogador do Bota Márcio Theodoro errou um passe e deu a bola no pé de Romário,
que marcou o gol da vitória do Fla.




 Em 1996, o lateral foi para o Juventude (RS),
mas voltou para o Mengão no ano seguinte. Em 1997, o Flamengo ganhou a Copa dos
Campeões Mundiais. No primeiro jogo da competição, o Mengo empatou em 0 a 0 com
o Santos; no segundo, empatou com o São paulo
em 2 a 2 e no terceiro, derrotou o Grêmio por 4 a 2. O Fla decidiu o título
contra o São paulo venceu o jogo
por 1 a 0 (gol de Iranildo).
Apesar de jovem, o time atuou muito bem A zaga — formada por Junior Baiano e Fabiano — se portou de forma impecável
na final. Lúcio e Iranildo também foram destaque na
competição.


       Em fevereiro de 1998, Fábio Baiano foi para o Bahia e
conquistou o Campeonato Baiano,  mas
voltou para o Flamengo no fim do mesmo ano.


     Na terceira passagem pelo Flamengo, junto com nomes como
Athirson, Beto e Reinaldo, Fábio Baiano ajudou o Flamengo a conquistar dois
títulos cariocas (1999 e 2000) e a Copa Mercosul em 1999. Em 1999, Fábio Baiano
jogou como lateral no Carioca, mas na competição sul-americana atuou com muita
raça como meia, posição em que também jogou na conquista do Estadual de 2000.


Em 1999, o Flamengo ganhou a Taça Guanabara. O adversário
foi o Vasco, que entrou de salto alto, por achar que ganharia com a vantagem do
empate. Doce ilusão. Não suportaram a raça do maior time do mundo. Athirson — aproveitando o passe de Iranildo numa jogada que fez jus à tradição
rubro-negra pela garra e categoria — abriu o placar no início do jogo e Romário ampliou com um belo gol de
canhota minutos depois. O adversário ainda diminuiu numa cabeçada de Odivan e
tentou empatar, mas o Mengão soube segurar o resultado. Nada melhor do ganhar o
primeiro turno de forma invicta. Mas a festa estava só começando: o Mengão
conquistou o Campeonato Estadual, vencendo o Vasco, que tinha ganhado o segundo
turno. No primeiro jogo, o resultado foi 1 a 1 graças ao gol de peixinho de Fábio Baiano e às defesas salvadoras
do goleiro Clemer. No segundo
jogo, Rodrigo Mendes cobrou bem
a falta sofrida por Caio e fez o
gol do título, deixando o goleiro Carlos Germano parado e a torcida rubro-negra
enlouquecida. O placar poderia ter sido maior, mas o juiz anulou um gol de Beto, alegando impedimento. Mesmo com
os desfalques de Iranildo, Leandro
Machado e Romário o time rubro-negro mostrou muita raça. E ganhar
no peito e na raça, honrando as tradições rubro-negras, é bom demais!! O
técnico rubro-negro era Carlinhos.


Outra conquista importante em 1999 foi a Copa Mercosul.
Fábio Baiano marcou em alguns jogos. Na primeira fase na competição, o Flamengo
venceu o Colo Colo por 4 a 0 jogando fora de casa com dois gols de Rodrigo
Mendes, um de Romário e outro de Fábio Baiano. Pela segunda fase da Mercosul,
Fábio Baiano abriu o placar contra o Independiente. O juiz expulsou dois
jogadores do Fla sem motivo e os argentinos empataram a partida , mas na raça o
Mengão segurou o resultado mesmo com a enorme pressão dos adversários. No jogo
de volta no Maracanã mesmo sem vários titulares, o Flamengo venceu o
Independiente por 4 a 0 com dois gols de Leandro Machado, um de Fábio Baiano e
outro de Romário, classificando-se para a semifinal contra o Peñarol.


Após a desclassificação no Brasileiro  com derrota para o Juventude por 3 a 1,
Romário, Fábio Baiano, Marcelo e Leandro Machado escaparam da concentração e
foram a uma festa em Caxias do Sul. O Romário saiu do Fla por não pedir
desculpas à torcida e voltou para o Vasco. Mas os outros jogadores foram
perdoados pela diretoria.


Na semifinal da Mercosul contra o Peñarol,  o
Flamengo venceu o primeiro jogo por 3 a 0 (gols de Leandro Machado, Maurinho e
Lê.)  No segundo jogo, o time uruguaio
venceu por 3 a 2 , mas mesmo com a derrota rubro-negra Reinaldo teve boa
atuação. Sofreu o pênalti marcado por Athirson e fez um golaço. Lamentável a
selvageria dos uruguaios, que agrediram os jogadores do Flamengo inconformados
com a eliminação.


As duas partidas da decisão
contra o Palmeiras foram eletrizantes.  O
Mengão venceu o primeiro jogo por 4 a 3. Show de emoção e garra. Juan abriu o
placar para o Flamengo. Júnior Baiano empatou para o time paulista. Asprila
virou para o Palmeiras. Caio empatou e Paulo Nunes fez 3 a 2. Mas era dia do
Urubu voar alto. Caio marcou outro gol e Reinaldo garantiu a vitória
rubro-negra no Maracanã com belo gol de cabeça após cruzamento de Athirson. No
segundo jogo na casa dos palmeirenses novo sufoco. Arce pôs o time alviverde em
vantagem. Caio empatou e Rodrigo Mendes virou o jogo com um golaço. Arce
empatou de falta em falha de Clemer e Paulo Nunes marcou o terceiro do
Palmeiras aproveitando lançamento de Zinho. Mas o jovem Lê marcou com frieza o
gol de empate e que deu o título ao Flamengo.


Em 2000, o Mengão venceu
novamente o Campeonato Estadual. Nosso maior rival venceu a Taça Guanabara, mas
o Flamengo se recuperou ¾ graças à volta de Carlinhos ao comando da equipe e à
raça e à união do time ¾ e conquistou a Taça Rio ao vencer o Friburguense por 3
a 1. (Os gols do Fla foram marcados por Reinaldo,
Athirson e Fábio Baiano.)


Nas finais, o rubro-negro
derrotou os vascaínos por 3 a 0 ¾ gols de Athirson
(em linda jogada) Fábio Baiano (de
falta) e Beto (de cabeça) ¾ no
primeiro jogo e por 2 a 1 no segundo ¾ gols de Viola para o
adversário e de Reinaldo e Tuta para o Mengão em bela virada. Reinaldo foi o vice-artilheiro da
competição com 15 gols e Athirson, em grande forma, foi um
lateral-esquerdo muito ofensivo, marcando 10 gols, muitos deles em clássicos,
sendo o destaque do Flamengo no campeonato.


         Depois do Carioca de 2000, Fábio Baiano foi para o Grêmio e
pelo time gaúcho conquistou a Copa do Brasil e o Campeonato Gaúcho ambos em
2001.


      Fábio Baiano ficou no Grêmio até 2002, ano em que voltou
para o Flamengo durante o Campeonato Brasileiro. Vou destacar dois jogos em que
Fábio Baiano atuou pelo Mengão em 2002. No Brasileiro do mesmo ano, o Flamengo
venceu o Flu por 5 a 2. O Tricolor saiu na frente, mas Athirson empatou. Zé
Carlos fez o segundo gol rubro-negro. Liédson marcou o terceiro. Iranildo
acertou uma bomba rasteira e fez o quarto. Fábio Baiano pegou de primeira e
fechou a goleada. O Flu descontou com Roni


   O Flamengo também venceu a Portuguesa por 2 a 1 no
Brasileiro de 2002 em confronto direto na luta contra o rebaixamento.
Alessandro abriu o placar, a Lusa empatou e Athirson com gol de pênalti
garantiu a vitória rubro-negra.


       Fábio Baiano ficou no Flamengo até o início de 2004, chegando
a disputar algumas partidas na campanha campeã da Taça GB como o primeiro duelo
contra o Flu em que o Flamengo venceu  o
Tricolor Carioca por 4 a 3. Jean abriu o placar para o Fla, mas ainda no
primeiro tempo, Romário fez três gols pelo Flu. Mas no segundo tempo Felipe
diminuiu para o Fla e Roger foi o herói do jogo marcando dois gols para o
Mengão, um de cabeça, que empatou o jogo e o quarto, dando um chute cruzado que
garantiu a vitória rubro-negra. O último jogo de Fábio Baiano pelo Fla foi na
derrota de 4 a 3 para o América (gols de Jean, Roger e Diogo para o Fla) e o
meia não chegou a disputar a final do turno contra o Flu, pois em 2004 Fábio
Baiano foi para o São Caetano conquistando o título de Campeão Paulista. No
mesmo ano, o atleta também jogou pelo Corinthians.


       Em 2005, Fábio Baiano jogou pelo Santos e pelo Atlético-MG.
No ano seguinte, jogou pelo rival Vasco. e pela Ponte Preta.


           Em 2007 , o jogador defendeu o Paysandu e também voltou ao Juventude.


         Em 2008, Fábio Baiano foi para o Brasiliense e conquistou o
Campeonato do Distrito Federal, junto com Iranildo.


    Bom recordar a trajetória de Fábio Baiano no Flamengo
especialmente os títulos que o jogador ajudou o Mengão a conquistar bem como a
carreira do atleta em outros clubes.


Fontes:




Vaz, Arturo, Júnior, Celso e Filho, Paschoal Ambrósio. 100 anos de bola, raça e paixão: a
história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.








SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2015/03/fabio-baiano.html

segunda-feira, 23 de março de 2015

O FLAMENGO DO POFEXÔ FEZ ATÉ CHOVER NO MARACANÃ















O Flamengo venceu  Vasco, no Maraca (é nosso), por 2 x 1.





Não foi nenhuma final, mas foi uma vitória histórica e, com certeza, será inesquecível.





Há muito escuto os velhos comentaristas esportivos dizer a frase: "Fulano só não fez chover".





Só que, desta vez, o Flamengo fez até chover no Maracanã.





Aconteceu de tudo e, devido à chuva torrencial que inundou o gramado e fez a partida ser paralisada, aos 22 minutos do primeiro, ironicamente, poderia até nem ter acontecido nada. 





Se a drenagem do campo não tivesse funcionado com eficiência.o jogo seria suspenso e recomeçaria, sabe-se lá em que data, do zero, como se nada tivesse acontecido.





Para nossa sorte, a partida continuou...





Até o temporal cair, não havia um domínio evidente de nenhuma das duas equipes.





O Flamengo fez o primeiro gol porque Alecsandro, que sempre digo aqui ser um dos jogadores mais inteligentes que temos, fez um gol de oportunismo e esperteza, digno de um centroavante ligado o tempo todo.





O goleiro do Vasco, Martin Silva, fez uma lambança. Quis sair jogando rolando a bola no gramado, mas ela parou numa poça d'água e Alecsandro chegou antes de todo mundo, soltando uma bomba para estufar as redes do Bacalhau. Veja o gol.






Depois veio a parada do jogo por causa da forte chuva, que impedia de se jogar futebol.





Cinquenta minutos depois o Vasco voltou melhor, empatou a partida e dominou até o final do primeiro tempo.





Na minha coluna de ontem eu mesmo falei que o Vasco tinha um time melhor, mais bem armado, e o Flamengo um elenco melhor.





E foi no intervalo que o Pofexô Luxemburgo, com uma jogada de mestre, fez com que o Flamengo voltasse a ter uma boa equipe em campo.








Luxemburgo foi o melhor do Fla

Ele tirou o Gabriel e colocou o Éverton pela esquerda, centralizando mais o Marcelo Cirino,que se aproximou mais de Alecsandro. Além disso, fez com que Márcio Araújo assumisse quase que uma função de ponta- direita e Canteros se aproximasse mais dos atacantes e da área adversária.





Repito: Foi uma jogada de mestre!





O time do Vasco teve que se abrir e, devido à velocidade imposta pelo time rubro-negro, ficou tão perdido que começou a fazer faltas em cima de faltas.





Até que, logo aos 6 minutos do segundo tempo, Cirino sofreu pênalti e Alecsandro cobrou com perfeição, fazendo o gol da vitória.





A partir daí o Flamengo se fechou mais atrás e partia para os contra ataques, levando perigo à galegada.





Só que os vascaínos sentiram que tinham que arriscar mais e se mandaram para o ataque, meio que atabalhoadamente, fazendo com que sempre errassem no último passe ou finalizassem mal.





Teve até porrada. 





O Paulinho, que havia entrado no ugar do Alecsandro, parou um ataque vascaíno com uma falta em cima do esquentado Bernardo.





O juiz ia dar cartão amarelo para o Paulinho e o jogo seguiria normalmente.





Só que o Bernardo, que é esquentadinho partiu para agredir o jogador do Fla e acabou ele, sim, sendo levando uma porrada do Anderson Pico.





Briga daqui, aparta dali e o árbitro mandou quatro para o chuveiro.





O Paulinho, na minha opinião, injustamente, mas Anderson Pico, Bernardo e Guiñazu, mereceram o cartão vermelho.





Daí em diante ficou aquele joguinho meio ruim de se ver, com o Vasco pressionando com perigo e o Flamengo se defendendo bem.





A nossa vitória foi justíssima e merecíamos pelo menos mais um gol.





E quem foi o melhor jogador flamenguista em campo? Todos. Até o Anderson Pico e o Pará, que continuo achando um pseudo jogador de futebol. 





Mas, todos, sem exceção, jogaram com muita raça e determinação, postura obrigatória de quem veste o Manto Sagrado.





Mas, na verdade o melhor do Flamengo mesmo foi o Vanderlei Luxemburgo.





E tem gente que diz que técnico não ganha jogo, apenas perde...





Grande injustiça...





Parabéns ao Pofexô!!!!!!!!!!





Depois de tanta água, estamos de alma lavada!







SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2015/03/o-flamengo-do-pofexo-fez-ate-chover-no.html