sexta-feira, 4 de julho de 2014

Conselheiro exalta bons ares da Gávea por receber a Holanda.









Antes mesmo de a Copa do Mundo começar, a relação entre Flamengo e Holanda sofreu uma estremecida, após o clube fazer novas exigências no contrato que previa melhorias na sede. Mas a questão foi sanada, os holandeses fizeram da Gávea sua casa no Rio, Zico apareceu para uma visita, famílias de jogadores frequentam alguns treinos e o clima é de leveza. A Holanda avançou de fase e pega a Costa Rica nas quartas de final, neste sábado, às 17h, em Salvador. Em caso de vitória, aumentará ainda mais sua permanência no Rubro-Negro. A relação, que propaga o clube internacionalmente, vem de de outro século, está gravada na história e é atestada por historiadores. E fez Walter Oaquim viajar no tempo e apostar que os bons fluidos da Gávea ajudam a seleção europeia. Conselheiro, ele vive há décadas no Flamengo, já teve cargos no futebol, presidente do Conselho Deliberativo, entre outros.

- Eles estão pegando os bons fluidos da Gávea, fluidos de Domingos da Guia a Zico, com Dequinha, Rubens... O Flamengo tem história e magia fantásticas. Eles estão treinando no clube mais popular do Brasil com seu nome derivado dos holandeses no Brasil à época. A parceria ajuda a divulgar o Flamengo no mundo. E eles têm ali um pouco da história deles. O que eles deixaram de melhor foi a palavra Flamengo – afirmou Walter Oaquim.

Com base nos livros "O Brasil Holandês", de Evaldo Cabral de Mello, e "Civilização Holandesa no Brasil", de José Honório Rodrigues, Oaquim divulgou um texto no qual fala sobre a relação da Holanda com o Rubro-Negro: “O Flamengo possui uma relação histórica com a Holanda. Os holandeses eram chamados de flamengos pelos portugueses e espanhóis (...) Quando os holandeses foram expulsos do Brasil Colônia e voltaram para a Europa, 300 holandeses não conseguiram lugar nos navios e vieram morar na Praia dos Sapateiros no Rio de Janeiro. Quando os nativos queriam se referir aos holandeses, diziam “lá na Praia dos Flamengos “. Com o passar do tempo foi chamada de Praia do Flamengo, onde foi fundado em 1895 o Clube de Regatas do Flamengo que se tornou o Clube mais popular do Brasil”.

Oaquim volta ao ano de 1988, quando o time com Leandro, Edinho, Zinho entre outros, disputou o Torneio de Amsterdã com Ajax, Benfica e Sampdoria. À época presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo, ele fez um discurso falando sobre a relação. E foi questionado se tinha se sentido como Rui Barbosa em Haia. E emendou:

- Me senti o Urubu em Amsterdã.

A história e a relação Flamengo e Holanda farão parte do acervo do museu do Flamengo. O historiador e professor do Colégio PH, Luiz Antonio Simas, atesta a relação entre Holanda, o bairro carioca da Zona Sul e o clube Flamengo.

- É isso, sim. Por conta da região de Flandes, onde fica a Holanda, quem é dali se chama flamengo. Tem a relação pelo fato de a região onde eles ficaram no Rio ter se transformado bairro do Flamengo. E depois o clube com o nome do bairro – afirmou o historiador.

Nesta sexta, já em Salvador, a Holanda realiza o último treino antes de enfrentar a Costa Rica. O mistério é quem será o substituto de De Jong, com um problema na virilha. Nesta quinta, Van Gaal realizou atividade fechada à imprensa no estádio Pituaçu.

Passando de fase, a Holanda retorna de Salvador para o Rio, onde dará sequência aos treinos na sede da Gávea, a casa de holandeses, Domingos da Guia, Zico e de flamengos e Flamengo.

Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Conselheiro-exalta-bons-ares-Gavea-receber-Holanda.html

Sócia conhece a Gávea, Presidente e apresenta reforço do Fla.










A manhã desta quinta-feira (03.07) não foi apenas o dia que o meio-campista Héctor Canteros, de 25 anos, assinou contrato com o Flamengo. Para a sócia-torcedora Vanessa Maia Esteves, foi muito mais do que isso. Sem saber, ela representou toda a torcida rubro-negra ao entregar pessoalmente a camisa que o novo reforço usará em campo. "Passei toda minha sorte para ele", brincou.  Vanessa venceu a promoção "Dia no Mengão", que prometia um passeio pela sede social do clube, conhecer o presidente Eduardo Bandeira de Mello e encontrar um ídolo rubro-negro. Ela só não sabia que seria a primeira a conhecer o novo camisa 20.

Clique aqui e seja  um sócio-torcedor e participe de ações e contratações.

"Meus amigos acharam o máximo o fato de ter sido a escolhida para conhecer a Gávea, mas, com toda certeza, eles ficarão ainda mais impressionados quando contar tudo que vi e vivi aqui hoje", disse Vanessa.

A rubro-negra é sócia-torcedora desde o início do programa. "Me associei, inicialmente, para fazer uso dos descontos nos ingressos. Procuro ir no máximo de partidas que posso, mas hoje, também participo de promoções e uso os descontos que são oferecidos em lojas e supermercados", concluiu. 

Antes de conhecer seu novo amigo, ela teve a chance de pedir autógrafo aos craques Adílio e Nunes, conferir as taças que o Flamengo já conquistou e ver a bola que será usada no jogo entre Brasil x Colômbia, exposta no lounge adidas. Até então, Vanessa já estava suficientemente nervosa em conhecer o presidente do Flamengo. "Fiquei mais ainda quando soube que ia conhecer o Canteros. Estou anestesiada até agora.", revela.

Durante a semana, o Nação Rubro-Negra divulgou a promoção de acordo com a prioridade de planos. Os participantes concorriam a um dia na Gávea, mas participar da apresentação do reforço foi um bônus. Após um longo passeio pelo clube, ela subiu para ser entrevistada pela equipe da TV Fla, que lhe avisou que deveria entregar o Manto para o novo camisa 20 rubro-negro. A sócia-torcedora espera comemorar muitas vitórias com o argentino. "Tenho certeza que vai nos representar muito bem. Desejo a ele toda sorte, raça e, acima de tudo, comprometimento"

 Os sócios-torcedores também podem conferir com exclusividade vídeos da chegada de Canteros ao Brasil na quarta-feira (02.07). Após a visita à Gávea, Canteros seguiu para o CT George Helal, o Ninho do Urubu, onde irá realizar seu primeiro treino com o elenco e se apresentar à imprensa. O programa Nação Rubro-Negra vai selecionar as melhores perguntas dos sócios-torcedores para o reforço rubro-negro. Basta enviar para o email nrnpromocao@gmail.com (é necessário enviar o CPF ou número de CRN junto com a pergunta). O técnico Ney Franco já respondeu algumas. Sócios-torcedores já podem conferir o bloco, que será exibido no próximo programa da TV Fla.

Clique aqui e veja vídeos do Canteros exclusivos para Sócio-Torcedor.

Fonte: Site Oficial do Flamengo


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Socia-conhece-Gavea-Presidente-apresenta-reforco-Fla.html

Paulo Victor fala de disputa no Fla e cita exemplo de Grohe.










Aos 27 anos, Paulo Victor ainda busca se firmar como titular do gol rubro-negro. A disputa pela posição com Felipe é evidente, e diária. Apesar de passar bastante tempo na reserva, já teve chances no time e barrou o concorrente em outras ocasiões. Agora, com a chegada de Ney Franco, recebeu oportunidade nos três últimos jogos antes da parada para a Copa do Mundo. Com a lesão de Felipe na viagem para Atibaia (machucou a costela), ele acredita que é o momento de se firmar de vez no clube e cita o gremista Marcelo Grohe como exemplo.

- Procuro pegar exemplos bons. O Marcelo Grohe ficou oito anos na reserva do Grêmio, trouxeram o Dida, ele soube esperar mais um ano e hoje é titular do Grêmio com destaque - disse o goleiro.

Paulo Victor sabe que se a diretoria for atrás de Julio César, titular da seleção brasileira na Copa do Mundo, irá perder espaço na equipe. O goleiro mesmo elegeu o brasileiro como o melhor do Mundial até agora e não poupou elogios ao camisa 12 do Brasil. Além disso, lembrou de quando trabalhou com o colega, por apenas dez dias, em um período de treinos no Ninho do Urubu.

- O Julio César aqui seria fantástico. Quem não queria ter um grande goleiro? A gente sabe das nossas qualidades, mas temos que saber que ele é um goleiro acima da média. Busco o meu espaço, hoje as coisas estão acontecendo, mas ele é um goleiro titular de Copa do Mundo na seleção brasileira. Seria um orgulho enorme poder trabalhar com ele um dia. Quando eu cheguei (no Flamengo), fiquei um ano só na base e fui para o profissional. O Julio César tinha acabado de ser vendido. Mas tive a oportunidade de treinar uns dez dias com ele no CT, quando estava de férias.

Confira os principais tópicos da entrevista de Paulo Victor:

Disputa com Felipe

- Eu respeito, a gente não precisa conversar. É o trabalho, o dia a dia, as palavras que são usadas, é o que mais vale. Cabe a decisão do Ney Franco, a gente tem que respeitar ele.

Exemplo de Marcelo Grohe

- Você com as críticas tem que ter o seu pensamento. Procuro pegar exemplos bons, o Marcelo Grohe ficou oito anos na reserva do Grêmio, trouxeram o Dida, ele soube esperar mais um ano e hoje é titular do Grêmio com destaque. Às vezes as pessoas falam que está na hora de sair, mas eu procuro manter o foco. Eu que tenho que saber, não as pessoas. E dar exemplos bons como esse é legal, ele tem a minha idade, por exemplo.

Relação com a torcida

- Unanimidade é muito difícil. Mesmo sendo cria da base vai ter torcedor que eu não vou agradar. Respeito, tomo as críticas como incentivo. E sei que a torcida tem um carinho muito grande por mim. Já estou há mais de oito anos no Flamengo, se precisar ficar mais oito, vou ficar. O atleta precisa disso, confiança que o torcedor transmite. Vou trabalhar ainda mais para que os torcedores que não agrado, no futuro possam torcer por mim também.

Carreira

- A gente não sabe o dia de amanhã, são nove anos e meio de Flamengo, e quase nove de profissional. É muito tempo, e deixo na mão de Deus. Trabalho dia a dia para isso. Agradeço muito o Flamengo por tudo. A gente não sabe o dia de amanhã, mas o foco está no Flamengo agora.

Goleiros na Copa

- Isso foi até um comentário nosso no treinamento, que o diferencial tem sido os goleiros. O Julio César é um grande goleiro, minha referência, tem feito a diferença. Você vê também o do México (Ochoa) se destacando. Isso é bom para o nosso lado, mostra a evolução dos goleiros hoje em dia, jogando com os pés, fazendo boas defesas. Isso valoriza mais. Antes só se olhava para os meias e atacantes que faziam gols.

Referência na posição

- Sou fã do Marcos, mas não posso deixar de falar do Rogério Ceni e do Julio César também, que são goleiros fantásticos. Mas sempre acompanhei o Marcos, desde pequeno. O futebol mundial tem que agradecer ao Rogério Ceni, porque ele que começou a usar muito os pés dessa forma. E o Julio é outra referência, jogou no Flamengo e temos que agradecer a ele.

O melhor arqueiro da Copa

- Julio César.

Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Paulo-Victor-fala-disputa-Fla-cita-exemplo-Grohe.html

Novo camisa 20 do Flamengo, Canteros explica preferência.










O volante Héctor Canteros fez o primeiro treinamento pelo Flamengo ainda na tarde da última quinta-feira, no Ninho do Urubu, quando ficou por cerca de 30 minutos na academia do Ninho do Urubu. Durante a entrevista coletiva concedida após as atividades, o jogador argentino comentou que pediu para jogar com a camisa 20 e falou sobre Lucas Mugni, o outro argentino do elenco.

– Pedi essa camisa (20), pois gosto do número e acho que tenho que começar com ela. Foi com a 20 que subi com o Villarreal. Vou lutar, tratar de ajudar todos os companheiros. Me sinto contente e é um desafio enorme de estar aqui com tanta gente que aposta no time. Sobre o Mugni, ele é muito talentoso, muita técnica e me parece ser muito difícil de marcar – ressaltou.

Fonte: Lancenet


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Novo-camisa-20-Flamengo-Canteros-explica-preferencia.html

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Júlio César no Flamengo é uma boa?









Esperei baixar a poeira para falar do Julio Cesar no Flamengo. É claro que não queria ser contagiada pela importância que ele teve na classificação do Brasil na Copa do Mundo.

Não escondo que entre Brasil x Flamengo, sou Flamengo. Não sou do tipo de que curte jogo da seleção com aquele patriotismo aflorado mas entendo quem curte e quem aproveita isso. Se acho bacana com o Flamengo, por que não acharia bacana com o Brasil? Só acho que o time da CBF não merece a moral que o Flamengo merece.

Nao há como negar, porém, que histórias como a do Julio Cesar, de redenção, de superação, encanta. Me encantou e deu um certo orgulho quando o Julio que fez isso, simplesmente porque não esqueci que associaram a imagem dele falhando em 2010 ao Flamengo.

O porta voz do Mengão, um torcedor que usa redes sociais para dar notícias de bastidor e quase sempre atropela o veículo oficial do clube, já soltou que o Flamengo fez uma contra-proposta em cima do que o Julio Cesar quer para jogar no Flamengo. Mas que a negociação está emperrada porque o Julio César não deu resposta. Ou seja, é caro para o que o Flamengo pode e quer pagar. Flamengo está oferecendo pouco e, mais uma vez, parece que não vai ter o jogador o clube.

Independente do que o Flamengo quer/pode/vai fazer, acho que é um bom momento para se investir em jogador que já tenha uma identificação com o clube. Flamengo carece disso. Há dois anos, eu seria totalmente contra a vinda do Julio Cesar. Além de achar que a saída dele não foi legal, encarei como  "esbanjada" o fato dele ter dio que não encerraria a carreira no Flamengo. Com o tempo, entendi que ele a saída dele não foi por causa do Flamengo e sim por causa das pessoas que faziam o Flamengo da época (e isso aconteceu com vários ooutros jogadores).

O Flamengo precisa de jogadores que motivem o torcedor ir aos estádios, para dar orgulho. Os times de futebol são movidos por isso ontem, hoje e sempre. Não sei se o Julio Cesar é o jogador ideal para consertar o time para uma melhor campanha no Brasileirão mas é uma ótima opção para fazer um Flamengo mais forte e aproximar esse time da torcida.

Muitas vezes, na vida, a etiqueta do preço pode até assustar. E, quase sempre, esconde os benefícios que só quem está bem antenado vê.

Fonte: Primeiro Penta


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Julio-Cesar-Flamengo-seria-uma-boa.html

Vídeo: Héctor Canteros chega ao Ninho do Urubu.












SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Video-Hector-Canteros-chega-Ninho-do-Urubu.html

"Quem vai comprar Balotelli depois dessa Copa?", diz dono do Milan.









O dono do Milan, Silvio Berlusconi, não escondeu nesta quinta-feira sua frustração com o desempenho da Itália e principalmente de seu atacante, Mario Balotelli, durante a Copa do Mundo no Brasil. Durante assembleia do partido "Forza Itália", em Roma, o ex-primeiro ministro italiano revelou que pretendia negociar Balo com um clube inglês por mais de R$ 100 milhões, mas que, agora, duvida que alguém queira comprá-lo por esse valor.

- Além da Itália, quem perdeu a Copa do Mundo fui eu. Eu o estava negociando com um clube inglês para vendê-lo por 35 milhões (de euros, o equivalente a R$ 106 milhões), mas depois desse Mundial quem vai querer comprá-lo mais? - questionou Berlusconi diante de várias testemunhas, de acordo com informações do site "Gazzetta dello Sport".

Especula-se que o clube inglês em questão seria o Arsenal, do técnico Arséne Wenger. O clube londrino busca atacantes e, por exemplo, trava uma disputa com o Liverpool pelo futebol do chileno Sánchez, do Barcelona.

Balotelli foi criticado pelos italianos, por exemplo, pelo cartão amarelo sem nenhuma necessidade que recebeu na partida contra o Uruguai. O lance fez com que o técnico Cesare Prandelli o substituísse no começo do segundo tempo. A Itália acabou derrotada por 1 a 0 e eliminada na primeira fase da Copa, como já havia acontecido na África do Sul, em 2010.

Também nesta quinta-feira, Silvio Berlusconi afirmou que o defensor De Sciglio, de 21 anos, não será vendido, desmentindo, assim, um rumor sobre a transferência do jogador.

- De Sciglio não será vendido, ele permanecerá no Milan - disse Berlusconi.

Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Quem-vai-comprar-Balotelli-depois-dessa-Copa.html

Canteros é apresentado no Flamengo buscando vaga no time.










Apresentado oficialmente como jogador do Flamengo na tarde desta quinta-feira, o argentino Héctor Canteros mostrou que está com a saúde em dia e que em breve já estará à disposição do técnico Ney Franco. Entretanto, antes de chegar ao CT, o volante foi à sede do clube, na Gávea para assinar o contrato de três temporadas e recebeu a camisa rubro-negra das mãos da sócio-torcedora Vanessa Maia Esteves.

Assim que chegou ao Ninho do Urubu, acompanhado do presidente Eduardo Bandeira de Mello e do empresário Hernan Jara, o novo camisa 20 foi direto ao campo dois do CT onde Ney Franco comandava o treinamento. Em seguida o jogador ainda realizou uma atividade física na sala de musculação, que durou aproximadamente 30 minutos.

- Estou muito feliz de estar aqui. Recebi muito carinho das pessoas em mensagens pelo Twtitter. A verdade é que estou, realmente, muito contente de estar em um clube como Flamengo. Não vejo a hora de começar a jogar pelo Flamengo. Meu objetivo agora é começar a treinar com o grupo, estar à disposição do técnico e começar a jogar - afirmou o jogador.

Contente com a recepção calorosa que teve do elenco rubro-negro, o jogador espera retribiur a confiança e vê no Rubro-Negro um novo desafio na carreira

- Vou lutar, tratar de ajudar todos os companheiros. Me sinto contente por essa oportunidade e é um desafio enorme de estar aqui com tanta gente que aposta em mim - afirmou.

CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

Em quanto tempo você acha que estará 100% fisicamente para entrar em campo?

R: Creio que esta semana ou na na próxima eu já esteja à disposição do Ney Franco. Isso porque eu já estava treinando forte e fiquei muito pouco tempo parado. Já vinha trabalhando com o pessoal no Vélez Sarfield (ARG).

Como foi a primeira impressão nessa chegada ao Flamengo e recepção dos novos companheiros?

R: É uma alegria enorme de estar aqui, e ter essa oportunidade e vamos começar a treinar para conhecer meus novos companheiros melhor.

Qual a importância de outros jogadores sul-americanos no elenco?

R: Creio que é uma facilidade a mais para a tradução e é um companheiro a mais para essa adaptação no Rio de Janeiro.

Fora do Brasil, o que ouvia falar sobre o Flamengo?

R: Lá fora o Flamengo é conhecido pela grande torcida que tem, além do Zico por tudo que representou para o clube. Essas são as coisas com mais identificação com o Flamengo.

Além de você, o Flamengo tem outro argentino. Já jogou contra o Lucas Mugni?

R: Já jogamos, eu no Vélez e ele no Colón. O Mugni é muito talentoso, tem muita técnica e é muito difícil de marcar. Por isso é bom não jogar mais contra.

Ney Franco adotou o 3-5-2. Você está acostumado a jogar nesse esquema?

R: O importante é o que pensa o técnico e onde ele acha que eu posso ajudar melhor a equipe nos treinos e nos jogos.

Fonte: Lancenet


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Canteros-apresentado-Flamengo-buscando-vaga-time.html

Grupo cria 'ensaio' para variar gritos em Brasil x Colômbia.









Para variar o grito da torcida brasileira nos estádios, um grupo se reúne em Fortaleza nesta quinta-feira (3), um dia antes do duelo Brasil e Colômbia pelas quartas de final da Copa do Mundo, para o ensaio geral da torcida brasileira. O evento começa às 20h, com o bloco Bons Amigos, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

O ensaio será repetido às 13h na esplanada da Arena Castelão, na Avenida Paulino Rocha, próximo à entrada Sul do estádio. “Vamos contagiar o estádio inteiro e mostrar quem grita mais aqui dentro. Temos que empolgar o maior número de pessoas possível!”, diz o anúncio do evento.

O técnico Felipão também pediu aos torcedores, em entrevista ao Jornal Nacional, o canto da música "Tá escrito", do Grupo Revelação.

"Neste momento, nós vamos iniciar fase mais importante do Campeonato Mundial e não temos uma música, um refrão, em que todos participem", disse.

Confira duas das letras que serão ensaiadas no encontro:

Somos Uma Nação
Da-lhe da-lhe da-lhe ô (3 X)
Brasil vai ser campeão

Da-lhe da-lhe da-lhe ô (3 X)
Brasil vai ser campeão

Brasil, nós estamos contigo
Somos uma nação
Não importa o que digam
Sempre levarei comigo

Minha camisa amarela
5 taças na mão
Essa copa é nossa
Vai começar a festa

Da-lhe da-lhe da-lhe ô (3 X)
Brasil vai ser campeão

Explode Castelão
Explode Castelão
Na maior felicidade
É lindo o meu Brasil
Contagiando e sacudindo essa cidade

Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Grupo-cria-ensaio-variar-gritos-Brasil-Colombia.html

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Cão na torcida e falta de alimentos marcam Arena Corinthians.









A estreia da Arena Corinthians na fase mata-mata da Copa do Mundo foi marcada pela repetição de alguns erros que já vinham ocorrendo na primeira fase do mundial. Excesso de filas e falta de alimentos, já no intervalo entre o primeiro e o segundo tempo, irritaram alguns torcedores que acompanharam a vitória da Argentina, por 1 a 0, contra a Suíça.

Apesar dos problemas, o início da "experiência" dos torcedores que estiveram na Arena Corinthians foi bastante positivo. Mesmo com o grande fluxo de pessoas que se dirigiam ao estádio, vindas das estações de metrô Artur Alvim e Corinthians – Itaquera, não houve nenhum tipo de confusão. Em ambas entradas, brasileiros, suíços e argentinos confraternizaram e ainda ouviram brincadeiras dos voluntários da Fifa.

– Alô, argentinos! Apesar de estarmos no Brasil temos que falar a verdade. Maradona foi melhor que o Pelé! – brincava um dos voluntários.

Na chegada ao estádio, os torcedores, que seguiram todo o trecho entre metrô e Arena Corinthians escoltados por policiais e voluntários, não encontraram nenhuma dificuldade para acessar a parte interna do estádio. Apesar das mais de 63 mil pessoas que acompanharam a vitória argentina, ninguém precisou esperar muito tempo para entrar no local.

O grande problema, como nos jogos anteriores, segue sendo os intervalos das partidas. Quem procurava as lanchonetes dos setores leste e oeste encontrava imensas filas e, quem tinha paciência de esperar, era obrigado a perder boa parte da partida. Nos dois setores, algumas pessoas que insistiram em pegar um lanche voltaram aos seus lugares após os 15 minutos do segundo tempo. A venda móvel de bebidas também foi alvo de reclamação, já que os carrinhos acabam sendo cercados por dezenas de torcedores que, de forma desordenada, dificultam a vida dos funcionários.

– Senhor, não temos mais hambúrguer. A única coisa que temos agora é cachorro-quente. Lamento – disse uma funcionária do setor oeste no intervalo para a segunda etapa.

Os banheiros, principalmente os masculinos, também seguem sendo um problema. Apesar dos vários sanitários espalhados pelo estádio, filas gigantescas acabam se formando durante os intervalos e, assim como no caso das lanchonetes, quem decide aguardar a vez de entrar no local acaba reclamando bastante da demora e, quase sempre, perde alguns minutos da partida.

Nas arquibancadas
Duas situações chamaram bastante a atenção de quem acompanhava a partida. No intervalo entre o primeiro e o segundo tempo, enquanto muitas pessoas se dirigiam para as áreas externas do estádio, um cachorro começou a circular pelas arquibancadas livremente. Várias pessoas aproveitaram a oportunidade para tirar fotos do animal que, com uma visão privilegiada, pode acompanhar a vitória da equipe de Lionel Messi.

Em outro momento, um torcedor acabou passando mal e foi rapidamente atendido pela equipe médica da Arena - ele foi retirado de maca do local. Horas mais tarde, Antônio Ferreira acabou falecendo no Hospital Santa Marcelina, em Itaquera. O torcedor apresentou problemas cardíacos  foi retirado do complexo de ambulância, mas não acabou resistindo.

Opiniões divididas

Enquanto alguns brasileiros continuam criticando parte da estrutura da Arena Corinthians, vários argentinos elogiaram bastante o estádio paulistano. Entre os brasileiros, as principais reclamações continuam sendo as filas. Mas, se engana quem pensa que os torcedores do Brasil não tenham também elogios ao estádio.

– É bem organizado e não tem nenhuma confusão. O problema sempre é no intervalo. É bem difícil fazer as coisas. De qualquer forma tem muita gente ajudando, mas se houvesse alguma forma de melhorar as filas seria melhor – afirmou o dentista Sérgio Melo.

– Acho que as filas são normais. O que me assusta um pouco são os preços. São bastante salgados. Já assisti uma partida da Copa no Maracanã e achei o estádio do Rio de Janeiro um pouco melhor. Inclusive o acesso. Não foi tão difícil chegar na Arena Corinthians, mas no Maracanã é bem mais fácil – contou o estudante Gustavo Santos.

Já entre os hermanos, que saíram vitoriosos da Arena, o estádio deixará boas lembranças. Apesar disso, alguns argentinos, torcedores do Boca, brincavam bastante falando que a nova arena do Timão não chega aos pés da Bombonera.

– Está muito linda. Muito bem feita. Tudo funciona bem. Já tinha ido a outros estádios brasileiros e nunca vi nada igual. É muito fácil chegar de metrô - , afirmou o publicitário Lucas Velasquez.

– É incrível, muito bonito. Os brasileiros estão de parabéns. O único problema são as filas mas, de qualquer forma, é um grande estádio. Não é nada perto da Bombonera, até porque os torcedores brasileiros não são tão animados como os argentinos. Falta calor, não sabem cantar e não tem canções. Eles apenas gritam –, completou o músico Álvaro Martins.

Passando ao lado do argentino durante a entrevista do hermano ao GloboEsporte.com, o estudante Daniel Roberto brincou com as críticas do rival.
– O grande problema da Arena Corinthians, hoje, é o excesso de argentinos. Por mim temos que tirar alguns. É muito excessivo isso. Vamos tirar – brincou.

Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Cao-torcida-falta-alimentos-marcam-Arena-Corinthians.html

Fred é o típico 'cone' da Seleção Brasileira.









O atacante Fred marcou apenas um gol na Copa do Mundo. E o lance aconteceu justamente na partida em que mais foi acionado, contra Camarões, em Brasília: 24 vezes. Nos outros três jogos do Brasil no torneio, o goleador teve problemas para ficar em condições de finalizar. E as estatísticas da Fifa explicam os motivos que têm atrapalhado o camisa 9 da Seleção.

Nos quatro jogos que disputou na Copa, Fred foi acionado em 62 oportunidades. Contra Camarões, foram 24 vezes, o dobro dos jogos contra Croácia e Chile - 12 em cada. Diante do México, a bola chegou a ele em 14 ocasiões. Foi o titular que menos recebeu a pelota na Seleção. Seus companheiros de ataque, por exemplo, foram bem mais procurados. Neymar em 161 oportunidades, e Hulk, que não enfrentou o México, em 87.

E o que mais chama a atenção são os jogadores que mais passaram para Fred: o lateral-direito Daniel Alves e o goleiro Julio César, com 12 vezes cada um.

Como os passes de Julio César são em reposições e tiros de meta, Fred precisou disputar quase 20% dos lances em que foi acionado na Copa com os zagueiros adversários. Percentual elevado para um centroavante, que precisa de uma bola mais limpa para finalizar

- Tenho certa maturidade e tenho que manter a calma, tentar explorar ao máximo minhas características e o que posso fazer. Não adianta eu querer sair muito da área e driblar três porque não vai adiantar. A gente também lê, ouve o que acontece fora, e fica essa briga: "O Fred não pega na bola". E eu tenho que procurar participar mais. Contra equipes muito fechadas, não tem como eu sair muito. Se eu sair para devolver para o Luiz Gustavo, não vai adiantar. É um jogo psicológico, tenho que entender – explicou o atacante, em entrevista coletiva na última quinta-feira.

Em quatro partidas, Fred concluiu jogadas nove vezes. Na estreia, ele não teve uma chance sequer diante da Croácia. Em seguida, duas diante do México e cinco contra Camarões. No confronto contra o Chile, chutou duas bolas ao gol de Bravo.

- O grupo todo, Felipão, Parreira, eles têm me ajudado muito. No último jogo, teve evolução, foi melhor para mim, consegui chutar mais, foi legal.

Fred tem o pior desempenho de um centroavante da Seleção desde a Copa de 1974. Naquela ocasião, após quatro jogos, Valdomiro e Jairzinho haviam marcado apenas um gol cada. De lá para cá, todos os atacantes balançaram a rede mais de uma vez após 360 minutos disputados no torneio. Um deles, Serginho Chulapa, autor de dois gols nos quatro primeiros jogos da Copa de 1982, vê o camisa 9 prejudicado pela escassez de bolas recebidas.

- Ainda não é o Fred que todos nós gostamos, mas uma coisa você pode ter certeza: a bola não está chegando também. Na minha opinião, ele já teve uma participação melhor contra o Chile. Ele se deslocou mais e deu opções - declarou Chulapa.

Na próxima sexta-feira, o Brasil vai enfrentar a Colômbia, no Castelão, em Fortaleza, pelas quartas de final da Copa do Mundo. E o caso de Fred pode piorar, pois a Fifa está investigando a participação dele na confusão do intervalo do jogo entre Brasil e Chile pelas oitavas de final.

BOLAS PARA FRED NA COPA

Brasil x Croácia - 12
Brasil x México - 14
Brasil x Camarões - 24
Brasil x Chile – 12

Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Fred-tipico-cone-Selecao-Brasileira.html

Criticados por choro são os que mais jogam bola na Seleção.









Neymar chorou no Hino Nacional. Julio César foi às lágrimas antes da disputa de pênaltis. Thiago Silva desabou ao ver a eliminação de perto contra o Chile. David Luiz chorou ao fazer seu primeiro gol com a camisa da seleção brasileira. O que isso significa? Que, talvez, o problema da equipe não seja esse. Os “chorões” são justamente os melhores jogadores do Brasil na Copa do Mundo.

Não há quem conteste até agora a participação desse quarteto. Ao lado do volante Luiz Gustavo, suspenso para a partida de sexta-feira diante da Colômbia, são os mais regulares. E as manifestações de emoção mais exageradas até agora partiram deles.


Nada chamou mais atenção do que a expressão abalada do capitão Thiago Silva antes de os pênaltis serem cobrados. Ele sentou-se sobre a bola, isolado, e pediu a Luiz Felipe Scolari que fosse o último entre todos os atletas a bater, caso fosse preciso. Não foi. O zagueiro admitiu ter exagerado, mas acha que acertou ao revelar que não estava se sentindo bem e ir para o fim da lista.

Ele também nega que o risco de eliminação tenha interferido em suas atuações. E tem razão. Thiago foi eleito para a seleção da Fifa da primeira fase da Copa do Mundo e, em quatro jogos, cometeu apenas duas faltas, número que impressiona para um zagueiro.

Com o abalo do parceiro de zaga, foi David Luiz quem assumiu o posto de capitão na prática. Abriu a cobrança de pênaltis mesmo com dor nas costas e foi quem recebeu os demais companheiros que bateram: comemorou com Marcelo e Neymar, e consolou Willian e Hulk. Com a vitória confirmada, desabou em lágrimas, que já haviam surgido no tempo normal, quando fez seu primeiro gol.

David faz dupla com Thiago Silva também na equipe ideal da Fifa. É outro que passa completamente imune a críticas desde o início, mesmo com a emoção à flor da pele. Assim como Julio César, que não escondeu o choro no momento mais tenso da Copa até aqui, entre a prorrogação e os pênaltis contra o Chile. A cena assustou, mas ele defendeu duas cobranças e foi o herói da classificação.

Neymar é vice-artilheiro do Mundial com quatro gols. Nem se lembram de que ele chorou durante a execução do Hino Nacional em Fortaleza, no duelo com o México. Por outro lado, não se viu até agora nenhuma grande manifestação de descontrole de atletas que não estão rendendo o esperado.

Daniel Alves, Paulinho, Fred, Oscar... Seus números são inferiores. Sem lágrimas e sem bom futebol. Explicações técnicas dizem que o choro pode fazer bem à pessoa, pois significa o alívio de uma situação de tensão, a liberação de um sentimento que pode ser reprimido. No caso da seleção brasileira, os "chorões" vêm comprovando essa teoria.

Além do trabalho psicológico, que volta a ter a presença da profissional Regina Brandão, Felipão também terá de resolver outros problemas para fazer os que não choram jogarem bem.

Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Criticados-choro-sao-mais-jogam-bola-Selecao.html

Invasor da Fonte Nova estudava invadir o Mané Garrincha.









Parecia uma ato espontâneo, sem planejamento prévio. No entanto, a invasão de um torcedor ao campo da Arena Fonte Nova, em Salvador, durante a partida entre Bélgica e Estados Unidos, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, foi pensada em cada detalhe. O autor do plano foi o italiano Mario Ferri, de 27 anos, que é conhecido como Falco (Falcão) e já havia invadido o gramado de um estádio no Mundial de 2010, na África do Sul.

Ferri começou a traçar os primeiras linhas do projeto de voltar a invadir o campo de um estádio de Copa do Mundo ainda no início deste ano. Em março, o torcedor italiano anunciou em dois perfis de uma rede social que pensava em visitar o Brasil para assistir ao Mundial. O desejo vinha acompanhado de um aviso:

- Estou considerando seriamente o fato de ir para a Copa do Mundo no Brasil ... Senhores, talvez o Falcão volte a voar – escreveu o invasor em março deste ano.

Com a passagem para o Brasil comprada, o italiano começou a pensar como poderia invadir o gramado de um estádio brasileiro. De acordo com um agente judicial que teve contato com Ferri e preferiu não se identificar, o italiano recentemente assistiu a uma partida no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Contudo, se assustou com a quantidade de seguranças presentes no local e decidiu adiar os planos. Teria uma nova chance de invadir o campo na Arena Fonte Nova, em Salvador, com tudo engatilhado para colocar o plano em ação.

Primeiro, comprou ingresso para deficientes físicos. Sabia que os lugares destinados aos cadeirantes ficavam mais perto do campo. Depois, foi só esperar a oportunidade. E ela veio ainda no início do jogo entre Bélgica e Estados Unidos. Com o joelho direito enfaixado, Ferri se levantou da cadeira de rodas, atravessou a proteção que separa as arquibancadas do gramado e, aos 16 minutos do primeiro tempo do jogo, correu pelo campo da Fonte Nova sem ser incomodado pelos seguranças.
Durante a corrida, Ferri cumprimentou o camisa 10 da Bélgica, Hazard, driblou o belga De Bruyne, que pedia para que ele saísse de campo, mostrou a camisa com a inscrição ‘Salve as crianças da favela. Ciro vive’ e permaneceu no campo até que foi retirado por um segurança e levado para o posto policial montado no estádio. No fim, o plano não poderia ter outro desfecho. O torcedor italiano foi detido e encaminhado para o Complexo Policial dos Barris, na capital baiana, onde, segundo policiais, ficará à espera de uma determinação judicial. De acordo com funcionários do judiciário baiano, o italiano pode até responder por estelionato por fingir ser deficiente físico.

HISTÓRICO DE INVASÕES

Ferri é bastante conhecido na Itália, onde iniciou a trajetória como um ‘especialista’ na invasão aos gramados dos estádios de futebol. Em novembro de 2009, ele interrompeu um amistoso entre Itália e Holanda com uma faixa pedindo que o técnico Marcelo Lippi convocasse o atacante Antonio Cassano para a seleção nacional que disputaria a Copa do Mundo. Ferri voltou a repetir o pedido ao invadir o campo no duelo entre Sampdoria e Napoli, em maio de 2010, confronto válido pelo Campeonato Italiano.

Lippi não convocou Cassano, a Itália foi eliminada na primeira fase da Copa do Mundo de 2010 e Ferri se sentiu na obrigação de mostrar ao técnico italiano que tinha razão. Na semifinal do mundial da África do Sul, ele invadiu o gramado na partida entre Espanha e Alemanha com uma faixa dizendo “Lippi, eu te avisei”. A estratégia utilizada foi a mesma da que o italiano colocou em prática na Arena Fonte Nova. Entrou de cadeira de rodas, aproveitou a proximidade do campo e invadiu o gramado com direito a uma vuvuzela em uma das mãos.

O histórico de Ferri não acaba por aí. O italiano invadiu o campo em mais três partidas, todas em competições internacionais. Ainda em 2010, voltou a entrar no gramado durante um jogo entre Milan e Real Madrid, pela Liga dos Campeões. No fim do mesmo ano, conseguiu invadir o palco da partida entre Internacional e Mazembe, no Mundial Interclubes.

Em 2011, o maior ‘feito’ do italiano envolvendo clubes: conseguiu ter acesso ao campo do jogo entre Barcelona e Manchester United, na final da Liga dos Campeões. Pela ‘carreira’, Ferri enfrenta vários processos na Itália e está proibido de entrar em estádios no país onde nasceu e também na África do Sul. Também foi em 2011 que o torcedor italiano anunciou a 'aposentadoria'. No entanto, horas antes do jogo entre Bélgica e EUA, nesta terça-feira, Ferri questionou seguidores, nas redes sociais, se voltaria à ativa.

MENSAGEM NA CAMISA

Ferri entrou em campo na Arena Fonte Nova com uma camisa com o símbolo do Super-Homem e duas inscrições. A primeira era ‘Salve as crianças da favela', em referência às crianças pobres que vivem nas favelas brasileiras. A segunda inscrição era 'Ciro vive', em memória de Ciro Esposito, torcedor do Napoli que morreu no último mês de junho após cinquenta dias internado. Esposito tentava assistir a uma partida entre Napoli e Roma quando se envolveu em uma confusão nos arredores do estádio. Dez pessoas ficaram feridas no incidente.
As imagens da invasão de Ferri ao gramado da Fonte Nova foram mostradas durante o "Seleção SporTV" desta terça-feira, que contou com a presença do secretário-geral da Fifa Jérôme Valcke, que criticou a atitude do torcedor.

-  O que é triste é que temos trabalhado para ter certeza de que damos acesso ao estádio a pessoas com deficiência, necessidades especiais e cadeirantes. Essa pessoa está agindo contra todos os cadeirantes. Ele deveria ser sancionado, pois é o pior exemplo. Está indo contra tudo aquilo que fazemos para reconhecer que quem queira ir à Copa do Mundo deva ter acesso. Ele é uma vergonha para todas as outras pessoas que estão sentadas ali na cadeira de rodas - considerou Valcke.

O apresentador Marcelo Barreto engrossou as críticas e reforçou a necessidade de punição ao torcedor.

- Esse ser humano está em uma das piores categorias possíveis entre os seres humanos. Uma pessoa que se disfarça de deficiente físico para fazer qualquer coisa já merece qualquer tipo de sanção, para invadir o campo então, pior ainda.

A Bélgica venceu a partida por 2 a 1 e avançou para as quartas de final. O próximo adversário é a Argentina, no próximo sábado, às 13h, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/07/Invasor-Fonte-Nova-estudava-invadir-Mane-Garrincha.html

Vitórias inesquecíveis contra o Palmeiras


















Nessa coluna vou relembrar vitórias marcantes do Flamengo
contra o Palmeiras.


            Pela
segunda fase do Brasileiro de 1980, o Flamengo se vingou de ter sido eliminado
pelo Campeonato Brasileiro do ano anterior ao perder para o Palmeiras por 4 a 1.
No primeiro jogo  no Maracanã, o
Rubro-Negro deu um chocolate no adversário e venceu por 6 a 2. Uri Geller
centrou e Tita abriu o placar com um gol de cabeça em falha do goleiro palmeirense.
Zico marcou o segundo gol rubro-negro em cobrança de falta e fez o terceiro de pênalti.
Toninho acertou uma bomba e marcou o quarto. Tita fez mais um , matando no
peito e batendo de virada. O Palmeiras diminuiu com um gol de pênalti marcado
por Baroninho e Mococa marcou o segundo do Porco. Nunes marcou o sexto e fechou
a goleada. No segundo jogo realizado em São Paulo Flamengo e Palmeiras
empataram em 2 a 2. Tita mais uma vez marcou o primeiro gol de cabeça. O Verdão
empatou com Jorginho e virou com gol de Baroninho, mas Carlos Henrique empatou
a partida e o Flamengo continuou sua bela caminhada rumo à conquista do
primeiro título brasileiro vencendo o Atlético Mineiro na eletrizante final do
campeonato por 3 a 2 (com dois gols de Nunes e um de Zico para o Flamengo e
dois gols de Reinaldo para o time mineiro).


Lembro-me também  de um   jogo contra o Palmeiras pelo Brasileiro de  1994 em que 
Sávio marcou os gols da vitória rubro-negra por 2 a 0: o primeiro em
chute forte e cruzado e o segundo de pênalti.


Outro confronto inesquecível
contra o Palmeiras aconteceu cinco  anos
depois. As duas partidas da decisão da Copa Mercosul contra o Palmeiras em 1999
foram elettrizantes.  O Mengão venceu o
primeiro jogo por 4 a 3. Show de emoção e garra. Juan abriu o placar para o
Flamengo. Júnior Baiano empatou para o time paulista. Asprila virou para o
Palmeiras. Caio empatou e Paulo Nunes fez 3 a 2. Mas era dia do Urubu voar
alto. Caio marcou outro gol e Reinaldo garantiu a vitória rubro-negra no
Maracanã. No segundo jogo na casa dos palmeirenses novo sufoco. Arce pôs o time
alviverde em vantagem. Caio empatou e Rodrigo Mendes virou o jogo com um
golaço. Arce empatou de falta em falha de Clemer e Paulo Nunes marcou o
terceiro do Palmeiras aproveitando lançamento de Zinho. Mas o jovem Lê marcou
com frieza o gol de empate e que deu o título ao Flamengo.


Em 2001, o Flamengo precisava
vencer o Palmeiras na última rodada do Brasileiro para escapar do rebaixamento.
Petkovic cobrou falta com perfeição e Juan abriu o placar de cabeça. Roma fez
um golaço,  fez 2 a 0 para o Flamengo e
garantiu o Rubro-Negro na primeira divisão.


Em 2009, na bela arrancada que
levou o Flamengo ao Hexa Brasileiro, aconteceu outro confronto com o Verdão em
que o craque sérvio foi decisivo. No jogo contra o Palmeiras no Parque
Antártica, o Pet, o maestro do time ,  teve uma atuação extraordinária, marcando dois
gols. O primeiro foi um gol de placa: após a tabela com Juan, Pet driblou dois
jogadores, trocou a bola de pé e chutou no ângulo de Marcos. O segundo foi um
gol olímpico: o craque sérvio cobrou escanteio, Marcos se enrolou e a bola
acabou entrando. O Flamengo venceu por 2 a 0 e o jogo entrou para história como
uma das maiores atuações de Pet com o Manto Sagrado. Em  2009, o Flamengo conquistou seu sexto título
Brasileiro ao derrotar o Grêmio por 2 a 1 na última rodada com gols de David
Braz e Ronaldo Angelim, que marcou o gol do título de cabeça aproveitando
cobrança de escanteio  certeira de Petkovic  ,  momento inesquecível para os rubro-negros .


Muito
bom poder relembrar esses confrontos com o Palmeiras que servem de alento nesse
momento difícil pelo qual passa o Flamengo.





Fontes:





https://www.youtube.com/watch?v=DjMULm6YDF8




https://www.youtube.com/watch?v=DHtul5NM4T0



SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2014/07/vitorias-inesqueciveis-contra-o.html

terça-feira, 1 de julho de 2014

Alemanha perde Mustafi, e Schweinsteiger e Khedira preocupam.









A Alemanha sofreu, se classificou, mas pode sair despedaçada do duelo com a Argélia, nesta segunda-feira, em Porto Alegre. O lateral direito Mustafi deixou o jogo com lesão muscular na coxa esquerda, Schweinsteiger sentiu fortes cãibras e também está descontado, e além disso, Khedira já não se encontrava 100%.

O período de afastamento de Mustafi pode chegar a três semanas. Em entrevista coletiva, o técnico Joachim Löw, já falou sobre a ausência do jogador.

"Ele [Mustafi] fez um excelente trabalho. Mas teve dores musculares, um princípio de lesão. Não acho que possa continuar jogando. Pode ser que precise perder entre duas a três semanas. Exames vão confirmar o diagnóstico", afirmou o comandante.

No meio-campo, o problema entre Khedira e Schweinsteiger causou dúvidas na escalação já para esta partida contra a Argélia. Ambos não estão totalmente em condições de atuar. No jogo desta segunda, Teiger foi titular, mas precisou deixar o campo com cãibras.

"Ele será reavaliado, mas não tem lesão alguma. Só sentiu muitas cãibras. Até queria seguir jogando, mas não podemos arriscar o restante da Copa do Mundo", disse o técnico da Alemanha. "O Khedira, da mesma forma, estava abalado fisicamente. Foi bom que ele tenha entrado porque pode precisar nos ajudar muito daqui para frente", completou.

Os problemas da Alemanha só se acumulam. Podolski já está fora da equipe por força de uma lesão muscular. E Jérôme Boateng se recuperou de uma inflamação no joelho.

Sem tempo para descanso, o time alemão enfrenta a França na próxima sexta-feira. A partida está marcada para as 13h, no Maracanã.

Fonte: UOL


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/06/Alemanha-perde-Mustafi-Schweinteiger-Khedira-preocupam.html

Vídeo: Müller tropeça em 'jogada ensaiada' da Alemanha.













Eram 42 minutos do segundo tempo do duelo entre Argélia e Alemanha, o 0 a 0 insistia no placar e o árbitro Sandro Meira Ricci assinalou falta na entrada da área para os alemães. Cinco jogadores ficaram em volta da bola. Dois dos lados, Müller mais atrás. Primeiro Schwesteiger passou da bola, em seguida o atacante, e.... Antes de fingir que chutaria, escorregou, caiu de joelhos e arrancou risos dos presentes.

A ideia era que ele passasse da bola para receber atrás da barreira. Mas a corrida equivocada atrapalhou tudo. Ele caiu, e já na hora arrancou gargalhadas dos presentes. A jogada seguiu, o plano alemão foi mantido, mas não deu em nada. A Argélia afastou normalmente.

O pior é que em seguida, já com a bola fora de jogo, os telões do Beira-Rio passaram o lance em câmera lenta, com ênfase no tombo de Müller. Daí virou cena de dar inveja a programas de humor. Alguns seguiram rindo, outros vaiaram e ninguém conseguiu entender bem o equívoco em um lance que deveria ser ensaiado repetidamente.

Até mesmo os jogadores da barreira formada pela Argélia esperavam algo melhor. O defensor que afastou a bola havia pulado, mas precisou abaixar a cabeça para tirar o perigo que rondava a meta do goleiro M'Bohli.

A Argélia montou um forte esquema defensivo e segurou a Alemanha durante os 90 minutos. Para isso, contou com grande atuação do goleiro, que salvou a equipe principalmente no segundo tempo. Mas cedeu já no começo da prorrogação. Gol de Schürle.

O duelo, com direito a lance cômico, é despedida de Porto Alegre da Copa do Mundo. Certamente com a falta mais 'estranha' da Copa do Mundo.

Fonte: UOL


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/06/Video-Muller-tropeca-jogada-ensaiada-Alemanha.html

Goleiro da Costa Rica treina pênaltis com bolinhas de tênis.










Agora grandes clubes europeus estão de olho em Keylor Navas, mas o goleiro da Costa Rica já havia mostrado que está acima da média. E não foi defendendo o Levante. Em um vídeo divulgado pelo time espanhol (veja acima) pouco antes da Copa, Navas dá um show em duelo com o tenista Pablo Andujar, atualmente número 80 no ranking da ATP.

Navas defende vários disparos do espanhol, que manda bolinhas de tênis a cerca de 160 km/h, golpeando da entrada da grande área. No último domingo, o goleiro foi o herói da classificação da Costa Rica ao defender uma cobrança de Gekas na disputa de pênaltis contra a Grécia. Sua equipe, agora, pega a Holanda neste sábado em busca de vaga nas semifinais.

Fonte: UOL


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/06/Goleiro-Costa-Rica-treina-penaltis-bolinhas-tenis.html

Vídeo: Julio César recebe homenagem da Gatorade.









Curtir

Arquivo do blog

As mais votadas no diHITT

Parceiros

Meus amigos no diHITT