sábado, 27 de dezembro de 2014

Zico fala da emoção de jogar com o neto.









Anfitrião do Jogo das Estrelas, Zico era um dos mais satisfeitos após o fim da partida deste sábado no Maracanã. Emocionado, o Galinho falou sobre importância da realização de mais uma edição do torneio e da felicidade por poder fazer uma homenagem em 2014 aos jogadores estrangeiros.

- Fico muito feliz em poder neste ano fazer uma homenagem aos estrangeiros, que muitos contribuíram para o nosso futebol. O resultado hoje pouco importa. O importante é que todo mundo jogou, está satisfeito. Foi uma grande festa - afirmou em entrevista ao "SporTV".

Um dos momentos mais emocionantes aconteceu já no fim do jogo, quando o neto de Zico, Felipe, entrou em campo. O avô coruja falou entusiasmado sobre a experiência.

- Ano passado ele não quis entrar, mas hoje felizmente ele driblou a timidez e fez parte da festa. Dei um passe para ele e ele fez o gol - declarou.

Por falar em bola na rede, Zico deixou sua marca no primeiro tempo. E creditou a finalização aos ensinamentos do pai, seu Antunes, quando era mais novo.

- O seu Antunes sempre me falava, bate no canto do goleiro, cruzado, que não tem defesa. O gol sempre é para ele - finalizou.

Esta foi a décima primeira edição do Jogo das Estrelas.


Fonte: Lancenet


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/12/zico-fala-da-emocao-de-jogar-com-o-neto.html

Tudo o que rolou no vai-e-vem deste sábado.









O sábado foi de pouca movimentação no mercado da bola. Apesar disso, houve novidades. Sem alarde, o Flamengo colocou o meia Jadson, do Corinthians, em sua alça de mira para ser o camisa 10 da equipe em 2015. O São Paulo, por sua vez, fechou com Daniel, ex-atacante do Botafogo que havia sido reprovado nos exames médicos realizados pelo Palmeiras durante a semana.

Aos 31 anos, Jadson é o nome esperado para ocupar a lacuna deixada por Ronaldinho Gaúcho, que saiu do clube em 2012 – desde então, o Rubro-Negro segue sem um meia de criação clássico. Assim, o clube carioca precisa comprar os direitos do atleta junto ao Corinthians.

Destaque do Botafogo na pífia campanha do time no último Brasileirão, Daniel viu as portas do Palmeiras se fecharem após os resultados dos exames médicos, realizados na última terça, não terem sido satisfatórios. O atacante de 20 anos, porém, assinou contrato de três temporadas com o São Paulo neste sábado. O jovem tem uma lesão no ligamento cruzado do joelho direito e precisará de um período de tratamento para ser utilizado pelo Tricolor.

Por falar no Alviverde, o atacante Osvaldo interessa ao Palmeiras. O atacante do São Paulo tem o aval do técnico Muricy Ramalho para ser negociado e pode mudar de ares em 2015. Ele possui contrato até o fim de 2015.

O Corinthians, que está atrás de Conca, sonha repatriar um ídolo recente. O clube do Parque São Jorge espera uma resposta do Tottenham à proposta feita por Paulinho. O Timão e o volante – em baixa na Europa – já se entenderam sobre os termos do contrato. A diretoria corintiana espera um retorno dos ingleses nas primeiras semanas de janeiro.

Outro volante que desperta a atenção no cenário nacional é Nilton, bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro em 2013 e 2014. A primeira proposta do Internacional pelo cabeça de área foi recusada, mas, antes do fim deste ano a transferência ser concretizada, segundo Wagner Ribeiro, empresário do atleta. Os valores são mantidos em sigilo, mas é certo que o contrato será em definitivo.

Na Série B, o panorama é mais modesto. O Botafogo tenta a volta de Cortez, que teve boa passagem em 2011. O lateral-esquerdo possui vínculo com o São Paulo – que não se interessa por sua manutenção – até 2016. O principal entrave é o salário do ala, pois o teto salarial do Glorioso para a próxima temporada é de R$ 50 mil.


Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/12/tudo-o-que-rolou-no-vai-e-vem-deste-sabado.html

Flamengo agenda reunião com Vélez por Lucas Romero.









Os objetivos são simples: Fazer dinheiro com vendas, encolher o passivo de maneira que permita sustentar a realidade de alguns meses até o balanço final, e se reforçar com nomes disponíveis. Este é o plano definido pela administração de Raúl Gamez.

Cumprida ao pé da letra, o novo balanço que será entregue em outubro, terá um passivo inferior a 100 milhões de pesos (cerca de R$ 31 milhões).

Enquanto isso, o Clube tenta reativar propostas por Lucas Romero. O volante, que seria transferido na primeira proposta por cerca de 5 milhões de euros, tem a chance de ir para o Brasil e jogar no Flamengo.

O clube brasileiro realizou uma proposta que incluía dinheiro e o passe de Héctor Canteros, que a princípio foi rejeitado, já que o Vélez procura dinheiro. No entanto, cartolas do Clube carioca devem chegar a Buenos Aires na manhã de segunda-feira para uma reunião com a diretoria do Clube argentino.

Informações de info Vélez*

Matéria escrita por Eduardo El Khouri


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/12/flamengo-agenda-reuniao-com-velez-por-lucas-romero.html

A saída para os clubes é o programa de sócio-torcedor.









O novo momento do esporte brasileiro, a saída de investidores, o boom dos eventos, as novas frentes de atuação do Campeonato Potiguar de Futebol, a crise do vôlei com a saída do Banco do Brasil são alguns dos assuntos que o jornalista Alan Oliveira comenta nessa entrevista. Diretor da empresa que assessora a Federação do RN de Futebol na área de marketing defende parcerias com a iniciativa privada para fomentar o esporte nas escolas públicas, destaca o crescimento do MMA e garante que a solução para viabilidade dos clubes está no programa sócio-torcedor.

Como avalia o novo momento de investimentos no marketing esportivo?

O momento Copa do Mundo, da prévia, já acabou. Muitos foram as empresas que investiram forte no setor. Agora é um período de ativar quem está satisfeito com os resultados, principalmente dos últimos quatro anos. A economia do Brasil não passa por um bom momento, não segredo para ninguém, ou seja, exibe criatividade ao lançar bons produtos, fidelizar os parceiros e realizar todas as entregas prometidas. O mercado de marketing esportivo está cada vez mais exigente e muitas vezes confundido só com comercialização de produtos, a captação de patrocínios. A comunicação é chave nesse processo e ter bons produtos faz toda a diferença.

E essa ‘bolha’ de patrocínios estourou?

Começou para algumas frentes de produtos. É preciso sempre inovar e ser rápido para ficar atento as mudanças no setor. Vamos lá! Em Minas Gerais, o BMG já anunciou o fim do patrocínio com Atlético Mineiro e Cruzeiro, campeões este ano da Copa do Brasil e do Brasileiro, respectivamente. No Rio de Janeiro, a Unimed deixou o Fluminense, agora com Guaraviton, após saída do Botafogo. A Caixa é uma grande dúvida para 2015, dependendo do posicionamento econômico após a chegada do novo ministro da Fazenda a partir do próximo ano. O patrocinador máster do futebol está sumindo, caso isolados e alguns como a própria Caixa e o Banrisul como o Grêmio e o Internacional, o que está fortalecendo os pontuais, marketing de oportunidade em eventos especiais.

E se a Caixa deixar de patrocinar o futebol?

A Caixa Econômica encontrou no futebol um grande negócio utilizando os clubes, cada um com suas particularidades, uma forma de patrocinar, de ter uma imagem simpática junto as torcidas das equipes parceiras. Mas ninguém consegue garantir tal permanência. Hoje, na Série A, são sete os clubes: Corinthians, R$ 30 milhões; Flamengo, R$ 25 milhões, Atlético Paranaense, Coritiba e Vitória ganham R$ 6 milhões. Figueirense embolsa R$ 4,5 milhões. E a Chapecoense, R$ 4 milhões. Na Série B, o Vasco era o privilegiado, R$ 15 milhões. O Atlético Goianiense recebe R$ 2,5 milhões. O Paraná Clube, o América-RN e o ABC, R$ 2 milhões, cada. Na Série C, CRB e ASA de Arapiraca, R$ 500 mil, cada um.

E qual a saída para viabilizar os clubes?

Em relação aos clubes, o programa de sócio. O Internacional é a grande prova, um case. Estive este semestre em Porto Alegre, recentemente, e constatei mais como eles fazem o sócio a grande estrela, a atração do clube. Fatura mais de R$ 40 milhões, por ano, valor maior que a cota de televisão. São mais de 100 mil sócios ativos, com 20% desse número que direito ao voto para eleger o novo presidente no último dia 13. O associado precisa viver o dia a dia de sua paixão. Além de cobrar time forte, ele gosta de participar mais, de ter desconto na rede credenciada, na loja, ter acesso com ou sem desconto aos jogos, estacionamento, acesso aos treinos, eventos, de ter experiências únicas com seus ídolos, privilégios que só ele oficial tem, fazer valer sua vantagem em relação ao simples torcedor que compra apenas o ingresso. Medidas com o programa que sejam de ações populares, como preço promocional de ingresso, são contra o futuro da maior arrecadação do clube: o sócio torcedor.

Está faltando patrocinador para investir no esporte?

O momento econômico fez mudar o foco de muitas empresas e a principal deles é apostar no local. Nosso cliente, o Campeonato Potiguar, com a Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF), tem tudo para ter muito mais empresas locais que nacionais em 2015, bem diferente de anos anteriores. Para o aporte de empresas de atuação nacional não há como atender vários estados, a resposta pronta que não há como patrocinar só um estado, sem fazer em outro. Agora é a hora do patrocinador local que tem tudo para ter a visibilidade com o futebol para vender mais seus produtos, ao fidelidade sua marca em público consumidor, em todas as classes, tendo uma marca simpática com todas as torcidas.

E como atrair as empresas locais para o Campeonato Potiguar de Futebol?

Na agência, na 10, fizemos um estudo e estamos com projeto pronto que tem tudo para ser pioneiro no Brasil. O poder público tem seu papel, claro, mas apresentamos para nosso cliente, a FNF, uma solução atrativa para empresas e torcedores, que nos próximos iremos anunciar. É um conceito de outlet americano, é garantir benefícios para os patrocinadores e quem vai ganhar muito é o torcedor.

A saída do Banco do Brasil do vôlei vai gerar uma crise para o esporte?

O Banco do Brasil fez muito pelo esporte brasileiro, pelo voleibol. Gerir recurso público no Brasil exige responsabilidade. Gerenciar o contrato do patrocínio da CBV (Confederação Brasileira de Voleibol), parceiro do vôlei há 23 anos, como foi apontado pelo relatório final da Controladoria-Geral da União (CGU), é muita irresponsabilidade, com as denúncias apontadas. Os contratos irregulares, segundo a CGU, têm juntos o valor de R$ 30 milhões em pagamentos feitos entre 2010 e 2013.

O MMA é o esporte da vez?

É uma indústria que cresce muito. Ao ter a oportunidade de trabalhar este ano com o UFC, em Natal, observei o quanto engaja fãs, uma legião de apaixonados, consumidores pela marca, pelo esporte. Outra organização que está em excelente momento é o Bellator, no Rio Grande do Norte hoje com o único campeão mundial de MMA, Patrício Pitbull. Claro, não podemos esquecer de Renan Barão, do UFC, recentemente campeão, e um tantos atletas que estão sendo formados no Rio Grande do Norte, um celeiro de campeões.

O esporte educacional tem saída?

Há sim. O Rio Grande do Norte já revelou ídolos nas escolas, tais como Virna, Oscar, Juliana Felisberta e tantos outros. Acho que uma parceria público privada por ser a saída para fomentar essa atividade no Estado. A realização de mais eventos, premiar sistematicamente os destaques, garantir o resultado educacional de forma integrada faz toda diferença para formar o cidadão do futuro. O que observamos são ações isoladas. Esporte é educação, cultura, lazer, entretenimento, gera emprego e renda para o Estado e precisa está na pauta dos governos.

Quem

Alan Oliveira - Jornalista, pós-graduado em Administração e Marketing Esportivo, com curso de Gestão em Arenas Multiuso pela Trevisan, Alan Oliveira traz a experiência de quase 20 anos no setor de comunicação empresarial e esportiva. Foi destaque em 2010 e 2011 ao gerenciar o marketing do ABC ao conquistar 10 mil sócios, em apenas seis meses, fez a integração dos processos da transição no Náutico-PE entre os Aflitos e a Arena Pernambuco, é responsável pelo marketing da Federação Norte-rio-grandense de Futebol há 3 anos, recentemente iniciou consultoria ao Gama, do Distrito Federal, além de ser o sócio diretor da 10 Sports e da Fácil Comunicação, prestando de serviços de comunicação, tais como o UFC em Natal (2014), atletas, eventos, empresas, campanhas eleitorais.


Fonte: Tribuna do Norte


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/12/a-saida-para-os-clubes-e-o-programa-de-socio-torcedor.html

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Léo Moura pode chegar a 50 gols na carreira.









O lateral-direito Léo Moura, que renovou contrato por mais seis meses com o Flamengo, está próximo de escrever mais um importante capítulo na trajetória dele no futebol. Faltam três gols para alcançar a marca de 50 gols na carreira.

O feito pode acontecer na disputa do Campeonato Carioca. Léo Moura, que disputou 511 jogos no clube Rubro-negro não esconde a frustração por ter tido poucas chances para defender a Seleção Brasileira.

"Pelo momento que eu tava vivendo quando fui convocado, achava que pudesse ter uma sequência maior de jogos. Chegar na Seleção é o maior objetivo que o jogador quer, e graças a Deus eu consegui. Não guardo mágoa por não ter voltado, mas poderia ter tido mais chances."

O jogador tem apenas uma convocação para a Seleção Brasileira, atuou na vitória por 1 a 0 sobre a Irlanda, em 2008, na era Mano Menezes.

Fonte: Rádio Tupi


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/12/leo-moura-pode-chegar-50-gols-na-carreira.html

Arouca e Robinho entram em pauta no Flamengo.









Como já dissemos, o Flamengo trabalha na contratação de um segundo volante, um meia e dois atacantes.

Os nomes do volante Arouca e do atacante Robinho, ambos do Santos, estão na pauta.

O primeiro, fica sem contrato com o clube paulista na semana que vem.

O outro, cujos direitos econômicos pertencem ao Milan, está disponível para compra.

Flamengo e os 20 anos da Operação Romário...

Há exatamente 20 anos, o então presidente do Flamengo Kleber Leite recebia em seu escritório, no Jardim Botânico, ninguém menos do que o melhor jogador do mundo eleito pela Fifa: Romário.

Era o primeiro ato da operação que terminou duas semanas depois com a contratação do astro da seleção brasileira na conquista do tetracampeonato mundial, figura principal da constelação do Barcelona comandada pelo técnico holandês Johan Cruyff.

Romário saiu das areias da praia na Barra da Tijuca, vestiu short e camisa, calçou o tênis no banco de cimento ao lado do quiosque que frequentava, e foi negociar ele mesmo, diretamente com o recém-empossado presidente rubro-negro.

Tinha em mente tudo esquadrinhado, desde os valores que deveriam ser oferecidos aos catalães, aos patrocinadores que se interessariam bancar a operação.

Do passo-a-passo fundamental para o fechamento do negócio, aos detalhes do cronograma entre sua reapresentação ao Barça e sua chegada triunfal no Rio para jogar no Flamengo.

Feito histórico para o futebol brasileiro _ foi o primeiro jogador repatriado no auge da carreira.

Números

Em termos de conquistas, o investimento de US$ 4,5 de dólares, surpreendente para a época, não foi lá grandes coisas: dois títulos Estaduais (1996 e 99) e dois torneios continentais: a Copa Ouro sul-americana (96) e a Copa dos Campeões Mundiais (97).

Mas Romário renovou a autoestima dos rubro-negros e cativou uma nova legião de torcedores do clube. Fez 204 gols em 240 jogos, com média de 0,85 gols por partida, o terceiro melhor da história _ atrás de Leônidas e Pirilo.

O fim

O Baixinho interrompeu sua trajetória na Gávea saindo por duas vezes para jogar no Valência, da Espanha, em 1996 e 97, e deixou o Flamengo definitivamente em 99. Retornou para São Januário e no Vasco ainda conquistou o Brasileiro e a Mercosul de 2000.

Jogou também no Fluminense, e ainda se aventurou pelo Catar e Estados Unidos, antes de fazer seu milésimo gol vestindo a camisa vascaína, em 2007.

Joia

Quem vai ficar com Erick, a joia do Brasileiro, meia-atacante que marcou 15 gols em 39 partidas disputadas com a camisa do Goias, nesta temporada?


Fonte: Blog do Gilmar Ferreira


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/12/arouca-e-robinho-entram-em-pauta-no-flamengo.html

Flamengo, Inter e Corinthians sondam Ryder Matos.









O atacante Ryder Matos, de apenas 21 anos, não está indo bem na Liga Espanhola e tem tido pouco espaço no Córdoba. Ele vive um início de temporada conturbado, que foi afetada pela mudança de treinador e o penúltimo lugar na tabela classificação. Desde que o novo técnico (o sérvio Miroslav Djukic em 20 de outubro), ele não entrou em campo.

Segundo informações do Viola News, a diretoria da Fiorentina quer definir a situação do atleta o quanto antes. E a alternativa mais provável parece ser a sua mudança de equipe, e com duas hipóteses: voltar para a Itália ou jogar no Brasil e ganhar chances na seleção olímpica.

O mais difícil é a sua volta a Florença. Além da sondagem do Atalanta, que busca reforçar o ataque, há também propostas de equipes da Série B do campeonato Italiano e o interesse de alguns clubes brasileiros, como Flamengo, Internacional e Corinthians.

Algo concreto pode materializar-se já no início de janeiro.

Matéria escrita por Eduardo El Khouri


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/12/flamengo-inter-e-corinthians-sondam-ryder-matos.html

Rodrigo Caetano diz que Biteco deixou de ser prioridade.









Bressan não deve seguir em Porto Alegre em 2015, pelo menos por enquanto. Em entrevista ao programa Hoje nos Esportes, o gerente executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano, confirmou uma negociação em andamento com o defensor.

"Em relação ao Bressan, primeiro foi uma consulta. Há uma negociação em andamento. Sou muito cauteloso em cravar alguma coisa. É uma tendência (o acerto)", revelou Caetano.

Por outro lado, o acerto com o lateral Pará está praticamente fechado. Segundo o dirigente, faltam apenas alguns documentos para que o clube carioca anuncie o jogador. O lateral foi parte do pagamento da dívida envolvendo Rodrigo Mendes, no ano 2000.

Por último, Matheus Biteco. Rodrigo Caetano admitiu o interesse de Vanderlei Luxemburgo no atleta, entretanto, o volante não fará parte do pagamento da dívida com o Fla.

"Em relação ao Biteco, há o interesse, mas não está vinculado ao acordo. O (Matheus) Biteco interessou desde o início. Mas como envolve negociação com os alemães (atleta tem parte do passe fixado ao Hoffenheim), deixou de ser prioridade para nós", admitiu Rodrigo Caetano.


Fonte: Clic RBS


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/12/rodrigo-caetano-diz-que-biteco-deixou-de-ser-prioridade.html

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Entrevista com Eduardo Bandeira e Alexandre Povoa.









Curtir

Arquivo do blog

As mais votadas no diHITT

Parceiros

Meus amigos no diHITT