sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Um passe açucarado dos Clubes para a Federação.









Quando os jogos de seleções tiram das principais competições do país os melhores jogadores, aqueles que custam mais caro, os clubes sofrem tecnicamente e protestam. Com razão. Mas o que fazem para mudar tal realidade?

O Campeonato Brasileiro se consolidou com pontos corridos e 38 rodadas. A Copa do Brasil cresceu em qualidade, importância e popularidade com os times que jogam também a Libertadores. Contratos válidos até 2018 asseguram que Libertadores e Copa Sul-Americana continuarão em semestres diferentes, por menos sensato que possa parecer. Ou seja, só há um caminho para aliviar o calendário: redimensionar os Estaduais, reduzir o número de jogos dos grandes, liberando as datas dos jogos de seleções.

Pois desde 11 de setembro a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) sedia um fórum de debates sobre a competição. Em tese, seria a oportunidade de dizer presente, apresentar propostas, exibir insatisfação através de uma ação articulada entre os quatro grandes cariocas.

Na porta do auditório, há uma lista de presença. Consultado o histórico das oito reuniões já realizadas, um dado chama atenção: apenas o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, assinou a lista de presença. E mesmo assim de um único encontro. Os demais, nunca apareceram. Ou seja, juntos, os presidentes de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco somam 31 ausências e uma presença.

Argumentam que mandam representantes. Pois das oito sessões, apenas duas tiveram a presença de dirigentes ou funcionários dos quatro clubes. Nos encontros mais recentes, o comparecimento minguou ainda mais. Na sétima reunião, há dez dias, só Fluminense e Botafogo estavam representados. Na última terça-feira, apenas um advogado do Flamengo apareceu. Quase todos os encontros do fórum, aliás, aconteceram num auditório vazio, com média de 30 presentes, incluindo clubes pequenos, jornalistas, diretores da Federação e representantes de órgãos públicos.

É como um passe sob medida, açucarado, dos clubes para a Federação. É verdade que parte considerável dos palestrantes convidados têm discursos afinados com a entidade, fazem discursos comoventes em defesa do atual formato do Estadual. O caso é que as ausências reforçam o discurso da Ferj. O presidente da Federação, Rubens Lopes, garante que, além de ausentes, os clubes grandes jamais enviaram qualquer documento com sugestões ou pedidos formais de redução do campeonato.

- Mais uma vez, queria lamentar a ausência dos principais interessados - disse Lopes, ao abrir a sessão da última terça-feira.

O discurso é repetido como um mantra.

- Se os problemas do Estadual fossem tão grandes quanto estes clubes nos querem fazer crer, estariam aqui - discursou o vice jurídico da Federação, Cláudio Mansur, há dez dias.

Na reunião que tratou dos preços de ingressos, o Vasco esteve ausente. Já a discussão sobre mídia e mecanismos de divulgação do campeonato não seduziu quase nenhum dos grandes: Flamengo, Fluminense e Vasco faltaram. Apenas o tricolor, por sua vez, mandou representante para o encontro sobre mercado de trabalho ligado ao futebol carioca, enquanto Vasco e Flamengo não se interessaram pela reunião sobre a criação de um Código de Postura para o campeonato, punindo críticas à competição. Também fracassou a reunião sobre a criação do Fair Play Financeiro no Estadual: Fluminense, Vasco e Botafogo não foram.

Os temas que reuniram todos os grandes foram a discussão sobre estádios e sobre segurança. Em ambas, funcionários de áreas com afinidades com o tema representaram os clubes. Mas não houve pronunciamento de membros das diretorias dos clubes grandes. 

Uma oportunidade de reverter o quadro se anuncia para a próxima terça-feira. O fórum vai discutir, especificamente, o modelo de campeonato para as próximas temporadas. É a chance de dizer presente.


Fonte: Blog do Mansur


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Um-passe-acucarado-Clubes-para-Federacao.html

O futebol também dá voltas.









Há algum tempo, todos os analistas criticaram a contratação de Alecsandro pelo Flamengo. No embalo, a própria torcida rubro-negra fez o mesmo, insatisfeita e, com razão, com as atuações nada convincentes do atacante.

Com a chegada de Vanderlei, o panorama começou a mudar para o Flamengo e, no embalo, também para Alecsandro. Não é que tenha ele se transformado em um novo Ronaldo Fenômeno, mas toda vez que, por um motivo ou por outro, não jogava, taticamente o time sofria as consequências. Com Vanderlei, passou ele a ser o primeiro “bote” ao adversário que, em função da combatividade do centroavante rubro-negro, tinha dificuldade na saída de bola. Não há como negar que, apesar de não ser o atacante dos sonhos da torcida do Flamengo, Alecsandro, ao seu modo, estava ajudando, e ajudando muito, com seu espírito combativo e guerreiro.

Faço questão de abordar o tema desta forma para dizer que, quando um jogador não me agrada no Flamengo, o meu primeiro sentimento é no sentido de torcer para que esteja eu errado. Infelizmente, tenho acertado muito mais do que errado, mas desta vez, com muita alegria afirmo que errei. Alecsandro não é o perna de pau que um dia julguei. Vai fazer falta. Muita falta.

FLAMENGO x AMÉRICA DE NATAL

Jogo difícil, como será sempre para o time de Vanderlei quando o adversário jogar trancadinho sem arriscar muito e, consequentemente, anular a maior, ou única, arma eficiente do Flamengo, que é o contra-ataque. O árbitro foi extremamente severo na expulsão de Marcelo e, mesmo não sendo uma Brastemp, Alecgol, se ficar de fora no próximo jogo, vai fazer falta. Quem entrou muito bem no jogo foi Gabriel, o único a arriscar o drible. Criou a jogada e fez o gol da vitória.

ATLÉTICO x CORINTHIANS

Há determinados jogos em que o fator sorte é decisivo e, este jogo entre Atlético e Corinthians foi um deles. Melhor para o Atlético que foi quem a dona sorte escolheu. Em dois, dos quatro gols do Atlético, a bola desviou em alguém para entrar. Este jogo me fez lembrar Flamengo x América do México, no Maracanã. Nos três gols dos mexicanos a bola desviou em alguém para enganar o goleiro e entrar. Futebol é isso aí… Tudo pode acontecer.

FLAMENGO x ATLÉTICO

O bicho vai pegar. Tomara que no sorteio o Flamengo faça o segundo jogo no Maraca. Acho que a cota de sorte do Atlético esgotou hoje.

Pegou mal, Jefferson

Quartas de final da Copa do Brasil. Caminho mais curto para a Libertadores. Competição que pode salvar o ano de qualquer clube. Competição onde a surpresa é rotina, como se viu no jogo entre Atlético Mineiro e Corinthians.

Ontem, quando apareceu a primeira imagem do jogo em Belo-Horizonte, a primeira coisa que vi, foi a careca reluzente do Diego Tardelli. Imediatamente me dei conta de que, numa demonstração de profissionalismo e compromisso com uma meta a ser alcançada, os jogadores de Corinthians e Atlético que jogaram pela Seleção Brasileira, mesmo após uma viagem prá lá de desgastante, estavam em campo defendendo seus clubes.

Hoje, leio que, em função da longa viagem, Jefferson, GOLEIRO, que num jogo tem um milhão de vezes menos desgaste do que um atacante como Tardelli, e dois milhões de vezes menos desgaste que um meio-campo como Elias, não vai jogar uma partida que é decisiva para o Botafogo. O jogo é difícil? Claro que é.  O Santos é favorito? Óbvio que é. Só que nesta Copa do Brasil, como diria o saudoso e querido companheiro Afonso Soares, “muita noiva volta do altar”. Em síntese, nesta competição tudo é possível, desde que os jogadores tenham vontade de jogar. Parece que não é o caso de Jefferson. Papelão!!!


Fonte: Blog do Kleber Leite


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/O-futebol-tambem-da-voltas.html

Lancenet cutuca e motiva o Atlético-MG contra o Flamengo.











SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Dois-tempos-dois-Flamengos-Velocidade-mudou-jogo.html

Confira lances do volante Jonas, do Sampaio Corrêa.











SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Confira-lances-volante-jonas-Sampaio-Correa.html

Os melhores momentos de Flamengo 1 x 0 América-RN.











SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Para-Luxa-se-Fla-tiver-seriedade-podera-ter-ano-muito-bom.html

Edílson já estaria apalavrado com o Flamengo.









O Flamengo quer espantar de vez o perigo do rebaixamento no Brasileirão, mas também já se planeja para a próxima temporada. Com uma provável saída de Léo Moura, o clube já teria um acordo verbal com o lateral-direito Edílson, ex-Ponte e que deixou recentemente o Botafogo.

O jogador está sem clube desde o início do mês, quando teve o contrato rescindindo pelo Botafogo. Edílson era um dos líderes do grupo – ao lado de Emerson Sheik, Bolívar e Júlio César -, e por demonstrar o descontentamento com os mais de três meses de salário atrasado acabou saindo.

Edílson se adaptou bem ao Rio de Janeiro e já comentou aos amigos que seu desejo é o de continuar atuando no futebol carioca. No Flamengo ele chegaria para ser o dono da posição, e inclusive já teria tido o aval do técnico Vanderlei Luxemburgo para que pudesse ser contratado. Porém, o anúncio deverá acontecer apenas ao final do Campeonato Brasileiro.

Edílson tem 28 anos e foi revelado pelo Avaí. Ele só foi despontar na Ponte Preta, em 2008, quando em seguida foi contratado pelo Grêmio. Depois do time gaúcho ele atuou por Atlético-PR e por último o Botafogo, onde estava desde 2013.

Pelo Brasileirão, o Flamengo volta a campo no próximo domingo, contra o Atlético-PR, às 16 horas, na Arena da Baixada. O time é o décimo colocado, com 37 pontos ganhos.


Fonte: Futebol Interior


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Edilson-ja-estaria-apalavrado-com-Flamengo.html

Copa do Brasil.









O jogo mais aguardado pela Copa do Brasil, sem dúvida, é entre Atlético Mineiro e Corinthians. No primeiro jogo, em São Paulo, o time de Mano Menezes sapecou 2 x 0, que realmente representa uma vantagem considerável, mas jogando em casa, o Galo merece todo respeito. Sinceramente, tenho dúvidas de quem acabe mais prejudicado pelas convocações para a Seleção. Em termos numéricos, a desvantagem é do Corinthians, que não terá Elias e Gil, mas pela absoluta necessidade de vitória do Atlético, e por ter que fazer no mínimo dois gols, talvez Diego Tardelli faça ainda mais falta. Sei lá… tenho dúvidas.

No Maraca, como sabiamente afirmou Vanderlei Luxemburgo, fazendo lembrar João Saldanha, “o jogo é mole, mas primeiro tem que ganhar”. Jogando com humildade, respeitando o adversário e mantendo a pegada dos últimos jogos, semifinal à vista para o Mengão. Amanhã, de novo, casa cheia e show da galera. Que torcida é essa…

Neymar e Zico

Em qualquer jogo, seja contra quem for, um mesmo jogador fazer quatro gols é de se tirar o chapéu, quanto mais jogando pela Seleção Brasileira. Realmente, este Neymar é um privilegiado e seu futebol é tão simples, como competente e plástico. Dos jogadores que pela seleção fizeram quatro gols, ele foi quem atingiu a marca com a menor idade. Neymar tem 22 anos. Para que se tenha uma idéia de como não é simples tal feito, neste item, Pelé, o rei do futebol, ficou devendo. As duas maiores proezas, foram de dois rubro-negros. Evaristo de Macedo, que marcou cinco gols em uma única partida e o nosso Zicão, que marcou quatro gols num mesmo jogo, em duas oportunidades. Contra a Bolívia, em 77, e em 81, contra o Eire. Vi estas duas façanhas ao vivo e a cores…

Falo nisso e volto no tempo. Nunca em toda a minha vida torci tanto por alguém. Era tão apaixonado pelo talento do Galo que, se o Flamengo vencesse e não houvesse ao menos um golzinho dele, a vitória não tinha o mesmo sabor. Por isso, por experiência própria e, por me julgar minimamente conhecedor do espírito rubro-negro, afirmo que é um crime contra o patrimônio não se tentar trabalhar no sentido de se encontrar um ídolo para o clube mais popular do país. Se for prata da casa como Zico, melhor. Se não, que se procure. Há clubes com outras características, onde a presença do ídolo é relativa. Não para o Flamengo, que necessita de alguém que seja o elo entre a instituição e a Nação. Que seja o porta-bandeira, conduzindo o Manto sagrado e arrastando a multidão. O ídolo, num clube popular, é o clube em carne e osso.


Fonte: Blog do Kleber Leite


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Copa-do-Brasil.html

Arrastando a bunda no chão.










Por mais que estejamos acostumados com a grandeza do Flamengo, por mais habituados que nos sintamos com a mobilização que acontece em suas partidas, por mais recordes de público em TODO o país com os quais tenhamos convivido durante nossas vidas, é absolutamente impossível não se impressionar ao nos depararmos com o que acaba de acontecer em Manaus.

Ingressos se ESGOTAREM no PRIMEIRO dia de vendas de uma partida que só acontecerá no dia 25, com nossa equipe no meio da tabela, enfrentando outra na zona de rebaixamento, a MILHARES de kilômetros da nossa cidade de origem, superando o público do jogo de estréia do estádio na Copa do Mundo, não só impressiona como surpreende. 

Como um clube com TODO esse poder, o explora TÃO POUCO? COMO? Como um mercado consumidor com esta capacidade pode ficar esquecido por 10 anos? Como uma paixão desse tamanho pode ter deixado de ser alimentada e retribuída por tanto tempo? Será que nosso adversário teve uma percepção melhor do que a nossa, com relação ao nosso potencial na região?

Não seria a hora dos nossos atuais gestores enxergarem, e explorarem, esse ENORME potencial de captação de recursos e possibilidade de aumento no nosso PST? Diante desse interesse tão impressionante, não poderíamos nos progamar para jogar, uma vez ao ano que fosse, nesses locais onde nossos torcedores são maioria absoluta?

Poderia ser na pré-temporada, Carioca, Brasileiro ou amistoso, não importa. Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste são redutos rubronegros comparáveis ao próprio Rio de Janeiro.

Nosso Presidente Eduardo, que constantemente cobra de nossos torcedores uma maior participação no PST, antes de mais nada, deveria olhar essa possibilidade com mais carinho. Retribuir com nossa presença  a devoção de todos esses torcedores apaixonados, responsáveis diretos por podermos dizer que somos A MAIOR DE TODAS.

Não podemos deixá-los restritos a jogos pela TV, por TANTO tempo. Mesmo porquê, se todo esse povo continuar dependendo apenas de TV para exercer sua paixão, alguns poderão acabar sucumbindo a toda a propaganda que vemos diariamente, a favor de equipes da “Argentina Brasileira”.

ODEIO BARBADAS!

Dentro dessa desumana maratona de jogos a qual temos sido submetidos, acredito que muita gente possa estar imaginando hoje uma partida mais tranquila, sem necessidade de arrastar tanto a bunda no chão ou mesmo que não haja necessidade de utilizarmos todos os titulares.

NÃO EU!

Tenho verdadeiro HORROR a “Barbadas”, assim como traumas com equipes chamadas “América”, não necessariamente mexicanas. Os mais “experientes” devem se lembrar como era duro para nós bater o “Mequinha Carioca”.

Por isso, torço para que a seriedade seja a mesma mostrada contra o Cruzeiro e, de preferência, com a mesma equipe. Se alguém precisar ser poupado por desgaste, que seja no fim de semana contra nosso vice paranaense.

Ao carimbarmos nossa vaga nas semi-finais hoje, já garantiremos, no mínimo, uma senhora (MUITÍSSO BEM VINDA) grana, com bilheteria, premiação e direito de imagem na TV, além da garantia de vermos novamente um Maraca inteiramente colorido de preto e vermelho, no jogo das semi-finais da Copa do Brasil.   

E esse Flamengo que temos visto, tem mesmo mais cara de Copa do Brasil do que de Brasileiro. Tem mais cara de mata-mata do que de pontos corridos. Não sei se seremos novamente Campeões, mas, ao contrário de algum tempo atrás, não me surpreenderei mais se formos. Pelo contrário!

Acredito MUITO na capacidade do nosso treinador, dos nossos jogadores e, mais ainda, por perceber uma absoluta sintonia time\torcida. Se nossos jogadores vêm “arrastando a bunda no chão”, nossa torcida tem respondido da mesma forma.

Isso mesmo! Apoiar a equipe desde a lanterna, botar mais de 40 mil pessoas de média no Maraca, bater recorde de público em TODOS os lugares, virar partidas no grito, aplaudir equipe depois de derrota, esgotar ingressos em Arena de Copa no 1º dia, injetar mais de 30 milhões anuais nos cofres do clube, não pode também ser classificado como torcer “RALANDO A BUNDA NO CHÃO”? 

E quando esse ABRAÇO se estabelece, a gente sabe que o “impossível” deixa de existir, não é mesmo? No Brasileirão, tudo bem, não dá mais. Mas na Copa pode dar, SIM!

Depois de hoje, vamos encarar jogos duríssimos na fase final, é verdade. Mais até do que no ano passado. Mas jogando com essa aplicação, dedicação, disposição e raça que temos visto, mais o apoio dessa MASSA INCOMPARÁVEL, estejam certos, independentemente de quem aparecer na nossa frente, passar por nós vai ser MAIS DURO AINDA.

O quê? Rebaixamento? Me perdoem, mas desconheço essa palavra.

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!

Ricardo Perez


Fonte: Flamengo RJ


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Arrastando-bunda-no-chao.html

García: goleiro do Flamengo na década de 1950


















            Sinforiano García nasceu no dia
22/8/1924 em Puerto Pinasco no Paraguai. Jogou 274 partidas pelo Flamengo entre
1949 e 1958.


García iniciou a carreira no
Atlético Corales em 1944 e foi para o Cerro Porteño em 1945, clube onde ficou até
1948.


Entre 1945 e 1949, García defendeu a Seleção Paraguaia e disputou
os Campeonatos Sul-Americanos de 1947 e 1949, sendo que o time paraguaio foi
vice-campeão nas duas competições. Mesmo assim foi exatamente no Sul-Americano
de 1949 que García chamou a atenção dos dirigentes rubro-negros e acabou vindo para
o Flamengo nesse mesmo ano, estreando com o Manto Sagrado em amistoso contra o
Arsenal . Nesse jogo, o time inglês saiu na frente com Goring. Mas o  Mengão reagiu e empatou com gol de Jair da
Rosa Pinto. Graças à grande atuação de Garcia, o primeiro tempo da partida
terminou empatado em 1 a 1. No segundo tempo, o Flamengo virou o jogo com mais
um gol de Jair da Rosa Pinto. Durval também marcou e o Mengão venceu o Arsenal
por 3 a 1.


Goleiro de alta técnica e capaz de fazer defesas arrojadas,
García foi o segundo goleiro estrangeiro a defender o Flamengo (o primeiro foi
Juan Tunel Caballero, que veio para o Flamengo em 1937, mas só jogou 18
partidas pelo Fla) e foi importante para conquista do tricampeonato carioca de
1953-1954 e 1955 junto com nomes como Jordan, Dequinha, Jadir, Pavão, Evaristo,
Zagallo, Rubens, Paulinho, Índio , Joel, Esquerdinha, Benitez e Dida sob o
comando de Fleitas Solich . García foi titular no gol rubro-negro na conquista
dos títulos cariocas de 1953 e 1954.


Em 1953, o time rubro-negro
realizou uma campanha espetacular ganhando 21 jogos e sendo derrotado apenas
duas vezes. Na penúltima rodada, o Flamengo venceu o Vasco por 4 a 2 com gols
de Esquerdinha, Índio e dois gols de Benitez e conquistou o título carioca. Na
última rodada, o Mengão venceu o Botafogo por 1 a 0 com gol de Rubens coroando
a brilhante campanha. 


         Em 1954, o Flamengo continuou avassalador e obteve 19
vitórias em todo o campeonato, sendo derrotado apenas duas vezes e confirmou o
título ao vencer o Vasco por 2 a 1 (gols de Índio e Paulinho). Antes da última
rodada do campeonato, o Flamengo fez um amistoso contra o Estrela Vermelha e
venceu por 4 a 1 com dois gols de Evaristo, um de Zagallo e outro de Babá. Na última
rodada, com direito a Carnaval em pleno Maracanã, o Flamengo derrotou o Bangu
por 5 a 1 com gols de Benitez,
Paulinho, Índio, Evaristo de Macedo, Edson (contra) e conquistou o Bicampeonato
Carioca.


Durante o Campeonato carioca de 1955, García perdeu a vaga
de titular na equipe rubro-negra para Ari e Aníbal, que se revezavam no gol
rubro-negro e no final da competição foi substituído por Chamorro. Nesse mesmo ano, mesmo abalado com a morte
do Presidente Gilberto Cardoso, o Mengão conquistou o Campeonato Carioca para
homenagear um dos maiores presidentes da história do clube.
Na final
desta competição  realizada somente em
1956, o Flamengo venceu o América por 1 a 0 no primeiro jogo (gol de Evaristo),
perdeu por 5 a 1 no segundo e venceu por 4 a 1 na terceira partida com três
gols de Dida e um de Duca, sagrando-se tricampeão carioca (1953-1954-1955) pela
segunda vez.


Depois de encerrar a carreira
de jogador, Garcia foi técnico do Cerro Porteño
e do Curitiba.


              Bom saber mais sobre García, um dos grandes goleiros da
história do Flamengo.


Fontes:









Assaf, Roberto e Martins, Clóvis. Almanaque do Flamengo. São Paulo.
Editora Abril : 2001.


Sander, Roberto. Os
dez mais do Flamengo
. Rio de Janeiro: Editora Maquinária, 2008.











SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2014/10/garcia-goleiro-do-flamengo-na-decada-de.html

Viva a Magnética
















Ela voltou. Basta que o Flamengo tenha um time minimamente competitivo e o torcedor seja tratado com um mínimo de respeito que ela vem. A Magnética voltou. Aos poucos a média de público do Flamengo vai voltando a patamares normais.





O Flamengo é um colosso e precisa usar a força que tem. Precisamos de estratégias, planos, ideias que tragam a torcida para sempre do nosso lado. Juntos somos quase imbatíveis. Nada de pensamento elitista, de querer esfolar o torcedor. Temos que ser um só. Parece que a diretoria do Flamengo enfim começa a entender isso.





Vamos lotar estádios, vamos mostrar nossa Força. O Flamengo nasceu para ser o Maior de Todos. E a torcida tem papel fundamental nessa equação.







SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2014/10/viva-magnetica.html

terça-feira, 14 de outubro de 2014

O pior Flamengo de todos os tempos.











SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Telao-Maracana-exibiu-caricaturas-time-Flamengo.html

Gabriel não vê Fla como patinho feio na Copa do Brasil.











SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Gabriel-nao-ve-Fla-patinho-feio-Copa-do-Brasil.html

Fla esgota ingressos em 10 hrs e lotará a Arena Amazônia.









Construído para sediar quatro partidas da Copa do Mundo 2014, a Arena Amazônia, em Manaus, teve mais um marco na sua curta jornada nesta segunda-feira. Palco do clássico carioca entre Botafogo x Flamengo, no próximo dia 25, o estádio irá receber seu maior público na história: 43.675 pagantes.

Na noite desta segunda-feira, menos de 10 horas após o início das vendas na bilheteria da Arena e na internet, a assessoria de imprensa responsável pela organização da partida e pela venda de ingressos confirmou que não há mais bilhetes disponíveis. Com isso, se supera em pouco mais de três mil pessoas o número de pagantes da partida entre Honduras e Suíça, último jogo da Copa do Mundo na capital amazonense, e que detinha até então o recorde de público em Manaus (40.322).

Desde 2006 sem desembarcar em Manaus, o Flamengo pode ser considerado o responsável pela façanha. Durante a longa espera para se adquirir um ingresso para o clássico, o que se viu foi um número grande de rubro-negros dispostos a enfrentar até a forte chuva que assolou a cidade nesta segunda. Já os torcedores do Botafogo, que terão a oportunidade de acompanhar pela segunda vez o time em solo baré após o duelo com o Corinthians, eram minoria nos arredores do estádio.

Vapt-vupt

Uma primeira parcial, com 10 mil bilhetes comercializados, já havia sido anunciada no início da tarde. No entanto, a marca mais que dobrou até fim da tarde das bilheterias na Arena Amazônia. Com a continuação das vendas online, porém, o esgotamento dos ingressos foi questão de tempo. Às 21h (horário de Brasília), não havia mais tickets na bilheteria e nos sites responsáveis pela comercialização dos ingressos.


Fonte: GE


SRN

Fonte: http://www.noticiasfla.com.br/2014/10/Fla-esgota-ingressos-10-hrs-lotara-Arena-Amazonia.html

FUTEBOL NÃO É CIÊNCIA EXATA















Ganhamos do líder Cruzeiro, com facilidade, por 3 x 0, no Maraca (é nosso).





Futebol não é mesmo uma ciência exata. Ainda bem!





Se assim o fosse o Flamengo teria levado uma goleada do Cruzeiro, tal é a diferença técnica dos dois elencos.





Na verdade, não diria tanto a diferença técnica entre os dois elencos. Tanto lá, quanto cá, existem bons e maus jogadores. Lá tem mais bons jogadores, com certeza.





Mas, vejam bem que no time mineiro têm umas babas por lá, como o zagueiro Dedé, por exemplo, apelidado de Mito.





Seria mesmo um mito? O mito era utilizado pelo gregos antigos para explicar algo para o qual a ciência ainda não tinha explicação.





Hoje em dia a palavra nem sempre é empregada corretamente, porque é usada em crenças que, na maioria dos casos, não tem o menor fundamento.





Portanto, como o Dedé não passa de um zagueiro no máximo mediano, não poderia ser um mito.





Sejamos gratos ao gol contra de pelada que ele marcou e abriu o caminho para o nosso triunfo.





Outra bomba que o Cruzeiro tem é o lateral esquerdo Egídio. "Cria" do Flamengo, nunca deu certo na Gávea. Tentaram diversas vezes, mas o cara não aprendia a jogar bola mesmo. Aliás, gostaria de saber quem disse ao cara que ele era jogador de futebol.





Aí apareceu o Cruzeiro e, lá em Minas Gerais, a figura é titular! 





Pode isso, Arnaldo?





O Ministério da Saúde adverte: comer muito queijo Minas pode provocar idiotice futebolística.





Devemos agradecer muito a ele pela vitória de hoje. O Egídio teve uma atuação digna dos tempos em que, lamentavelmente, jogava pelo Flamengo.





Numa vacilada dele acabou saindo a jogada de nosso primeiro gol.





Mas, vamos falar da gente, de mais uma vitória épica.





Todos estavam preocupados com as voltas do Wallace e do Cáceres.





Acabou que o zagueiro voltou a sentir, ainda no primeiro tempo e foi substituído por Chicão, que jogou muito!





O Cáceres manteve o bom e eficiente nível de seu futebol.








Canteros toma a bola para marcar o gol

Mas, as estrelas do jogos, os melhores em campo foram mesmo o zagueiro Marcelo, Canteros e o Alecsandro.





Há muito tempo que venho dizendo por aqui que o futebol do argentino Canteros não aparece muito para a torcida, mas que ele tem uma importância tremenda para o elenco e sempre está em todos os lugares do campo. Não ao mesmo tempo, é claro...





Leonardo Moura fez um lançamento primoroso, daqueles de 40 metros, para o Canteros, pela direita. O argentino não desistiu. Por  isso aproveitou a indecisão entre o goleiro Fábio e o zagueiro Manoel, mais ou menos na lateral da grande área, tomou a bola dos dois e a chutou, quase sem ângulo, para levar os rubro-negros à loucura.








Alecsandro foi incansável e inteligente

Depois, o Alecsandro, que desta vez soube usar seu futebol inteligente, fez um cruzamento certeiro, que achou o Gabriel livre para estufar as redes mineiras.





Foi mesmo uma vitória inesperada para a maioria dos flamenguistas, que estavam contando com pelo menos um empate.





O Vanderlei Luxemburgo teve uma ótima visão de jogo, viu as falhas que o Cruzeiro apresentava e soube explorá-las com inteligência. Mexeu no time na hora certa e com rara felicidade.





O Flamengo, como sempre, estava bem armado, marcando bem e só saindo na boa. Os jogadores, de novo, tiveram um comportamento tático e uma entrega, uma raça de verdadeiros profissionais de futebol.





Ah... Quase ia me esquecendo da estreia do lateral esquerdo Anderson Pico. Meio gordinho, mostrou raça, marcou muito bem e evitou apoiar em demasia devido à sua forma física. Não comprometeu e ajudou bastante.





Mas essa vitória vem nos mostrar, mais uma vez, como nosso time é irregular.





Em uns jogos entrega de bandeja para São Paulo e Palmeiras, empates em jogos em que a vitória estava nas mão.





Perde para o Santos, numa tarde em que desperdiçamos muitas oportunidades e os paulistas só tiveram uma chance de gol, e vacila num jogo possível de vitória para o Grêmio, ambos no Maracanã.





Perde para o timeco do Bahia e ganha do "Timão" do Corinthians.





Não falei destes jogos em ordem cronológica. Apenas quis mostrar os fatos.





Sinceramente? Não dá para entender o Flamengo.





Pode não ter o elenco dos sonhos, pode são ser uma potência, mas poderia estar muito, mas muito bem colocado neste Brasileirão.





É... Futebol não é mesmo ciência exata...







SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2014/10/futebol-nao-e-ciencia-exata.html

A Turma do Dedé!














Os Trapalhões reestrearam em novo horário: 16h.








SRN

Fonte: http://flamengoeternamente.blogspot.com/2014/10/a-turma-do-dede.html